Governo relança venda do banco Efisa em janeiro

  • Rita Atalaia
  • 22 Dezembro 2017

É no início do ano que a Parparticipadas vai relançar a venda do banco Efisa. Depois do falhanço em abril, a previsão é de que este processo esteja concluído num prazo de três a quatro meses.

A Parparticipadas vai relançar a venda do banco Efisa durante o mês de janeiro. A informação é avançada pela entidade num comunicado enviado à CMVM. A previsão é de que este processo deva estar concluído “num prazo de três a quatro meses”. Isto depois de a venda do banco à Pivot, empresa detida pela Aethel Partners e Miguel Relvas, ter falhado em abril deste ano.

“Na sequência dos pedidos de informação recebidos, a Parparticipadas informa os interessados que prevê lançar o procedimento de alienação do Banco Efisa durante o mês de janeiro de 2018 com a publicação do anúncio respetivo”, refere a Parparticipadas no comunicado enviado à CMVM. “A alienação deverá ser realizada por concurso público, limitado a entidades que preencham determinados requisitos e que venham a ser selecionadas de acordo com os critérios definidos no respetivo programa de concurso”, acrescenta.

"Na sequência dos pedidos de informação recebidos, a Parparticipadas informa os interessados que prevê lançar o procedimento de alienação do Banco Efisa durante o mês de janeiro de 2018 com a publicação do anúncio respetivo.”

Parparticipadas

No mesmo comunicado, o Estado refere ainda que prevê que este procedimento possa estar concluído “com a adjudicação da proposta vencedora, num prazo de três a quatro meses”.

Foi em setembro que o Governo reabriu o processo de privatização do Banco Efisa. O secretário de Estado Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix, deu luz verde à Parparticipadas para tentar novamente alienar a instituição financeira. Isto depois de a venda do banco à Pivot, empresa detida pela Aethel Partners e Miguel Relvas, ter falhado em abril.

O Estado vendeu o banco Efisa à Pivot, mas o processo estava pendente da aprovação do Banco Central Europeu (BCE). Mas o prazo para a conclusão desta aprovação chegou ao fim sem que o BCE se tenha pronunciado e a venda falhou. A Pivot, detida por Ricardo Santos Silva e Aba Schubert, e que conta com Miguel Relvas como acionista, ia pagar cerca de 38 milhões de euros à entidade pública pelo antigo banco de investimento do BPN.

(Notícia atualizada às 12h38 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo relança venda do banco Efisa em janeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião