Justiça terá acesso a base de dados de contratos públicos

Ministério Público vai passar a ter acesso a base de dados dos Contratos Públicos como forma de prevenção e de acesso a informação para a investigação criminal.

A Procuradoria-Geral da República, liderada por Joana Marques Vidal, e o Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção (IMPIC) assinam amanhã, sexta-feira, um protocolo.Protocolo esse que consagra e regula o acesso por parte do Ministério Público (MP) aos elementos e informações da base de dados relativas aos todos os contratos públicos celebrados. Segundo esse protocolo, “o IMPIC deve prestar prontamente toda a colaboração que lhe for requerida pelo Ministério Público, para o desempenho da respetiva missão, nomeadamente garantindo o acesso direto às bases de dados de informações de contratos públicos e apresentando os documentos ou registos solicitados”.

“A informação constante das referidas bases de dados (Portal BASE e Observatório das Obras Públicas) é disponibilizada ao Ministério Público para efeitos de prossecução das respetivas competências, designadamente no domínio da prevenção e investigação criminal”, segundo comunicado enviado pelo gabinete de Joana Marques Vidal às redações.

A cerimónia, que terá lugar na Procuradoria-Geral da República esta sexta-feira, por volta das 12.00, estarão presentes os representantes das instituições signatárias, a Procuradora-Geral da República e o
Presidente do Conselho Diretivo do IMPIC.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Justiça terá acesso a base de dados de contratos públicos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião