Alterações nos transportes públicos na noite de Ano Novo. Saiba o que muda

Em Lisboa, nas noites de 29 a 31 de dezembro, os transportes públicos vão sofrer alterações. Haverá um reforço dos transportes, mas também ruas condicionadas.

Na noite de passagem de ano, a capital vai ser engolida por uma onda de festejos e animação. Para garantir que ninguém fica para trás, os transportes públicos vão sofrer alterações, sendo reforçados durante essa noite. Mas, atenção, haverá ruas condicionadas.

Nas noites de 29 a 31 de dezembro, os transportes públicos de Lisboa vão reforçar as carreiras, de modo a fazer face ao elevado número de pessoas espalhadas pelas ruas para comemorar a entrada no novo ano. Os festejos ocorrerão no Terreiro do Paço, na baixa da cidade, e, nas ruas adjacentes, o trânsito vai estar condicionado. Para além disso, haverá ainda um reforço das medidas de segurança por parte da PSP.

Condicionamentos de trânsito

Dia 29 e 30 de dezembro 2017, a partir das 20h30

Interrupção da circulação na Av. Ribeira das Naus e topo norte da Praça do Comércio

Dia 31 de Dezembro 2017 / 1 de Janeiro 2018, a partir das 18h00 até às 04h00 (ou logo que estejam reunidas todas as condições de segurança):

  • Tráfego proveniente de Norte — a circulação será cortada nos seguintes pontos: tráfego individual, proveniente da Av. Liberdade, só poderá circular até aos Restauradores, os transportes públicos, enquanto for possível, poderão inverter o sentido de marcha no Rossio — tráfego proveniente da Av. Almirante de Reis, o corte de tráfego ocorrerá no Martim Moniz, com inversão possível nesta praça.
  • Tráfego proveniente de Nascente — Corte de tráfego no viaduto da Av. Mouzinho de Albuquerque, sendo possível à Carris, inverter no Largo do Terreiro do Trigo
  • Tráfego proveniente de Poente — Corte de tráfego na Av. D. Carlos I, desvio para o interior da cidade. – Corte de tráfego no Largo do Chiado, não permitindo a ligação entre as colinas (entre as 18h e as 20h a avaliar no local)

Transportes Públicos

CARRIS

Dia 30 de Dezembro de 2017

Dois autocarros para reforço da carreira 201 entre as 0h e as 3h;

Dia 31 de Dezembro de 2017 / 01 de Janeiro de 2018

Depois da meia-noite, serão efetuados reforços de autocarros a partir de três locais próximos da Praça do Comércio, onde decorrerão os festejos promovidos pela Câmara Municipal de Lisboa:

  • Cais do Sodré – com ligação a Belém, Algés e Linda-a-Velha (carreira 201);
  • Rossio – com ligação a Campo Grande e Lumiar (carreira 207);
  • Alfândega / Santa Apolónia – com ligação ao Oriente (carreira 210).

Estas carreiras funcionarão enquanto a procura o justificar.

As carreiras de elétricos 12 e 28 terminarão o seu serviço cerca das 18h00, devido aos constrangimentos de trânsito que irão ocorrer na zona da Praça do Comércio

A carreira 15 de elétricos será encurtada ao Cais do Sodré a partir da mesma hora. O ascensor da Glória deverá encerrar cerca das 22h00.

METRO

Dia 31 de Dezembro 2017 / 1 de Janeiro 2018

As linhas Azul, Verde e Vermelha manter-se-ão em funcionamento, com as principais estações em operação (abertas) após a 1h e durante toda a madrugada até à hora de abertura normal.

  • Linha Azul: Pontinha, Colégio Militar, Jardim Zoológico, São Sebastião; Marques de Pombal; Restauradores.
  • Linha Verde: Telheiras, Areeiro, Alameda, Rossio, Baixa-Chiado, Cais do Sodré
  • Linha Vermelha: Moscavide, Oriente, Olivais, Alameda, São Sebastião.

CP – Comboios de Portual

Dia 31 de Dezembro 2017 / 01 de Janeiro 2018

Reforço de comboios:

  • Linha de Sintra – entre as 2h e as 5h – existência de comboios especiais de hora em hora
  • Linha de Cascais – entre as 2h e as 4h – existência de comboios especiais de hora em hora

TRANSTEJO

Dia 31 de Dezembro 2017 / 01 de Janeiro 2018

Serão realizadas ligações suplementares, assim como prolongamento das carreiras, caso a procura justifique, na ligação do Barreiro ao Terreiro do Paço, entre as 21h25 e as 23h30.

Serão realizadas ligações suplementares, assim como prolongamento das carreiras, caso a procura justifique, na ligação do Terreiro do Paço ao Barreiro, durante a madrugada do dia 1 de janeiro de 2018.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alterações nos transportes públicos na noite de Ano Novo. Saiba o que muda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião