Novo partido para enfrentar PSD? Santana desmente Pacheco Pereira

  • ECO
  • 12 Janeiro 2018

Pacheco Pereira revela que, para Santana Lopes, o PSD estava "morto" em 2011, ano em que quis criar um novo partido. Santana desmente as acusações.

Pacheco Pereira afirma que, no tempo em que Passos Coelho liderava o PSD, Santana Lopes já tinha perdido a fé no partido ao qual agora se candidata, que considerava “morto”. Isto ao ponto de o convidar para constituir outro partido como alternativa. Santana nega.

As acusações de Pacheco Pereira remontam a 2011. Nesse ano, terá sido abordado por Pedro Santana Lopes, no sentido de formar um novo partido que concorreria contra o PSD. “Santana Lopes disse-me a mim e a outras pessoas – por isso não vale a pena negar – que queria fazer outro partido. Estava muito indignado porque no PSD estava a acontecer uma transição de pessoas que o ‘enojava’”, recorda o militante social-democrata.

No encontro, que de acordo com Pacheco Pereira ocorreu num hotel na Lapa, Santana “dizia que o partido estava morto”. Recusou o convite e, semanas depois, observou o apoio de Santana à campanha de Passos Coelho. Santana Lopes referiu-se a Pacheco Pereira como o “mais escondido” apoiante de Rio, e desmente as acusações. “Vejam ao ponto que chega para tentar denegrir, denegrir, denegrir…”, afirmou o candidato social-democrata numa sessão com militantes em Aveiro.

As revelações foram feitas no programa Quadratura do Círculo da SIC Notícias, no qual Pacheco Pereira acrescentou que vai votar em Rio. Nas suas palavras, esta escolha “não é surpresa para ninguém.”

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Novo partido para enfrentar PSD? Santana desmente Pacheco Pereira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião