Aeroportos portugueses ultrapassam os 50 milhões de passageiros em 2017

Os dez aeroportos operados pela ANA em Portugal registaram um tráfego recorde superior a 50 milhões de passageiros no ano passado.

Só até outubro, o aeroporto de Lisboa já tinha ultrapassado o número de passageiros registado no total do ano de 2016. Feitas as contas, em 2017, o maior aeroporto português recebeu mais quatro milhões de passageiros face ao ano anterior. Esse aumento foi determinante para que, no seu conjunto, os dez aeroportos operados pela ANA (Aeroportos de Portugal) em Portugal ultrapassassem — pela primeira vez na sua história — os 50 milhões de passageiros.

51,8 milhões de passageiros. Foi este o número atingido em 2017 pelos aeroportos de Lisboa, Porto, Beja, Faro, Madeira, Porto Santo, Santa Maria, Ponta Delgada, Horta e Flores. Segundo a informação do site da Vinci Airports, a dona da ANA, o aumento foi de 16,5% face a 2016, o que se traduz em mais sete milhões de passageiros. Ao todo, transitaram em Portugal 141.900 passageiros por dia, o que equivale à capacidade de lugares sentados de 166 Airbus A380.

Só Lisboa contribuiu com mais de metade: quatro milhões, ou seja, um aumento de 18,8% no tráfego do Aeroporto Humberto Delgado. No total passaram pelo aeroporto da capital portuguesa 26,7 milhões de passageiros.

Todos os aeroportos atingiram recordes no tráfego anual: 10,7 milhões de passageiros no Aeroporto Francisco Sá Carneiro (15%), 8,7 milhões em Faro (+14,4%), 3,3 milhões no Aeroporto do Funchal (7,8%) e 2,2 milhões nos Aeroportos dos Açores (+18,7%).

A Vinci destaca o mercado brasileiro que “retomou o seu crescimento”, além da aceleração do mercado norte-americano devido à criação de novas rotas para os Estados Unidos no verão de 2017.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Aeroportos portugueses ultrapassam os 50 milhões de passageiros em 2017

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião