Pipedrive quer chegar aos 100 colaboradores em Portugal até ao final do ano

  • ECO
  • 26 Janeiro 2018

Líder executivo da Pipedrive considera que equipa de que a startup dispõe em Lisboa é um "pilar forte" do trabalho. Até ao final do ano, empresa estónia quer contar com 100 colaboradores, em Lisboa.

Há menos de um ano em Portugal, a Pipedrive está satisfeita com a sua expansão para terras lusitanas… tanto que a startup insiste no desejo de chegar aos 100 colaboradores na capital portuguesa, durante este ano. A empresa volta a sublinhar esse objetivo, no momento em que anuncia a concretização de um novo marco no seu negócio: ultrapassou os 70 mil clientes empresariais em mais de 170 países.

A Pipedrive oferece um software de vendas focado nos comerciais de empresas em crescimento. Em Portugal, a startup estónia, fundada em 2010, tem escritórios no Atrium Saldanha, em Lisboa, e faz um balanço positivo dos seus meses na capital. “A empresa continua a crescer localmente as operações e oferece condições atrativas para engenheiros e equipa de apoio ao cliente”, assinala a companhia em comunicado.

“É um orgulho termos alcançado o marco dos 70.000 clientes e um testemunho da nossa fenomenal equipa em todo o mundo”, reforça o líder executivo da empresa. Timo Rein considera também que a equipa de especialistas de que a Pipedrive dispõe na capital portuguesa “é um pilar forte e estratégico do trabalho, no que toca ao suporte fornecido e a capacitar as empresas ao nível das vendas”.

A Pipedrive ganhou o prémio de Melhor Empregador na Estónia em 2016. A startup tem escritórios em Tallin, na Estónia, em Nova Iorque, nos EUA, e em Lisboa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pipedrive quer chegar aos 100 colaboradores em Portugal até ao final do ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião