Pharol dispara 28% em dois dias. Prazo para devolução a credores da Oi ajuda

Ações da Pharol valorizam 11%, estendendo para 28% o ganho das duas últimas sessões. O avanço desta quarta-feira acontece depois de a Oi ter anunciado o prazo para credores recuperarem investimento.

A Pharol está em forte alta pela segunda sessão consecutiva na bolsa de Lisboa. Os títulos da empresa liderada por Palha da Silva ganham mais de 11%, estendendo para 28% o ganho acumulado nas duas últimas sessões. Esse avanço acontece depois de a Oi ter anunciado um prazo de 20 dias para os seus credores reclamarem os créditos a que têm direito.

As ações da Pharol que é a maior acionista da telecom brasileira, estão a somar 11,32%, para os 23,45 cêntimos. Ou seja, até máximos de final de janeiro.

“A Pharol tem sido o título mais volátil no índice PSI-20, com toda a instabilidade da operadora brasileira Oi a ter muito impacto. Hoje ela está a disparar uma vez que a Oi decidiu dar um prazo de pagamento aos credores“, disse João Travassos, trader da Orey iTrade à Reuters.

Pharol em forte alta

Os antigos obrigacionistas da PT, que passaram a ser obrigacionistas também da Oi, após a fusão entre ambas, têm até dia 26 de fevereiro para revelarem o seu interesse pela empresa. Caso não o façam arriscam a perder grande parte do investimento, segundo comunicou a Oi.

É “algo muito positivo para os interesses da empresa portuguesa” classificou o analista da Orey iTrade, acrescentando que “resta saber é se esta iniciativa vai ter muita aderência por parte dos credores ou não”.

Caso digam que sim ao acordo, os obrigacionistas da Oi vão receber parte do seu investimento no prazo de 12 anos, com seis de carência.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Pharol dispara 28% em dois dias. Prazo para devolução a credores da Oi ajuda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião