Vendas da dona do Minipreço sobem em Portugal. Espanha falha metas

  • ECO
  • 22 Fevereiro 2018

Grupo Dia fechou 2017 com 10,3 mil milhões de euros arrecadados em receitas, o que representou um crescimento de 1,5%. Em Portugal, vendas cresceram 0,6%. Espanha falhou metas.

A Distribuidora Internacional de Alimentação (DIA), dona do Minipreço, registou 10,3 mil milhões de euros em vendas durante o último ano. Houve um aumento de 1,5%, muito à custa dos mercados emergentes. Na Península Ibérica, Espanha, o país de origem, falhou as metas, já Portugal apresentou um crescimento ligeiro, garantido um volume de negócios de 852,8 milhões de euros.

Em Espanha, as vendas caíram 3,8% para 5,8 mil milhões de euros, o que acabou por colocar o mercado ibérico no vermelho. “O aumento de vendas nos países emergentes, com um crescimento de 10,8% em moeda local, compensou a quebra de 3,3% no mercado ibérico”, acrescentou, em comunicado, a empresa, esta quinta-feira. No mercado nacional, a DIA apresentou um aumento de 0,6% nas vendas.

Na Argentina e no Brasil, o grupo aumentou a sua quota de mercado — atingindo os 14,1% e os 7,8% respetivamente — e arrecadou 1,7 mil milhões de euros e 2 mil mil milhões de euros em cada um desses países, o que explica o crescimento global das receitas.

Contas feitas, o resultado líquido ajustado recuou 19,2% para os 217 milhões de euros. “Os resultados ficaram abaixo do que previmos em outubro devido à redução dos preços ter sido maior do que estimámos inicialmente. A nossa decisão de manter a liderança de preços em Espanha teve impacto nas nossas margens, que não puderam ser compensadas pelos esforços para economizar os custos e lucros provenientes das nossas alianças comerciais”, esclareceu o Conselheiro Delegado do Grupo Dia, no mesmo comunicado. Ricardo Currás revelou ainda que 2017 foi o primeiro ano em que a empresa não alcançou os seus objetivos, desde que entrou em bolsa, em 2011.

De acordo com o responsável, dos países em que o grupo está presente (Portugal, Argentina e Brasil), só Espanha não atingiu as metas definidas para esse ano.

Destaque ainda para a transformação de 613 estabelecimentos ibéricos do grupo de modo a disponibilizar aos clientes pontos de venda com frango assado (168 lojas em território nacional) e máquinas de sumo de laranja natural (293 lojas em terras lusitanas). Além disso, reforça o grupo, foi feita uma forte aposta na digitalização da empresa e nas alianças com os parceiros como a Amazon e o CaixaBank.

Comentários ({{ total }})

Vendas da dona do Minipreço sobem em Portugal. Espanha falha metas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião