Índice da Excelência 2017 distingue MC&A

  • ADVOCATUS
  • 23 Fevereiro 2018

Índice da Excelência 2017 distingue a sociedade MC&A na categoria Pequenas Empresas, segundo o estudo feito pela consultora Neves de Almeida HR Consulting.

A MC&A foi distinguida na segunda edição do Índice da Excelência, com a sétima posição na categoria Pequenas Empresas, no âmbito do estudo realizado pela consultora Neves de Almeida HR Consulting, em parceria com a Human Resources Portugal, a Executive Digest e o INDEG-ISCTE.

A cerimónia de entrega dos prémios, realizada no dia 20 de fevereiro, no Museu do Oriente em Lisboa, destacou com o primeiro lugar a Conduril Engenharia entre as Grandes Empresas, a Edge nas Médias Empresas e a Connect Services nas Pequenas Empresas.

O estudo envolveu a participação de cerca de 200 empresas e aproximadamente 30 mil colaboradores, de diversas áreas, desde a consultoria e tecnologia, à saúde e ao setor público, para avaliar o nível de satisfação dos colaboradores e os fatores decisivos nas relações entre as organizações e os seus profissionais.

A iniciativa consiste no estudo do clima organizacional e desenvolvimento do capital humano das empresas em análise, que tem como objetivo apurar e premiar as que se destacam como entidades de excelência neste campo, em Portugal.

Cada uma das organizações participantes no Índice da Excelência tem acesso a um conjunto de
resultados que lhes permitem identificar as áreas de maior e menor satisfação e compará-las com o mercado, percebendo não só onde se destacam pela positiva, mas também em que áreas estão abaixo da média. Os rankings definidos tiveram em consideração a dimensão das organizações participantes, bem como o seu posicionamento em diferentes setores de atividade.

"Impera entre a nossa equipa um forte sentimento de pertença à MC&A e de partilha dos sucessos que vamos alcançando, que se traduz na forma como funciona todo o escritório. Depois há também uma preocupação efectiva com o bem-estar pessoal e profissional dos nossos colaboradores, que resulta numa relação de grande camaradagem.”

Vítor Marques da Cruz

Sócio fundador da MC&A Advogados

Vítor Marques da Cruz, sócio fundador da MC&A, considera “fundamental a aposta na satisfação e bem-estar dos nossos profissionais. Em grande parte, são eles os responsáveis pelo sucesso deste escritório”. O responsável refere que “impera entre a nossa equipa um forte sentimento de pertença à MC&A e de partilha dos sucessos que vamos alcançando, que se traduz na forma como funciona todo o escritório. Depois há também uma preocupação efectiva com o bem-estar pessoal e profissional dos nossos colaboradores, que resulta numa relação de grande camaradagem”.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Índice da Excelência 2017 distingue MC&A

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião