Vêm aí mais dois pólos da Altice Labs em Portugal continental

A dona da Meo está para fechar duas novas localizações onde vai instalar ramos da Altice Labs. São em Portugal continental e juntam-se aos já confirmados, em Viseu, Madeira e Algarve.

A Altice Portugal está prestes a fechar duas novas localizações para instalar pólos tecnológicos da Altice Labs, a unidade de investigação e desenvolvimento do grupo que tem sede em Aveiro. Depois de Viseu, Madeira e Algarve, a empresa tem já na calha duas ramificações do centro que, por agora, apenas se sabe que serão em Portugal continental.

A informação foi avançada pelo presidente executivo da empresa, Alexandre Fonseca, à margem do segundo aniversário do pólo tecnológico de Aveiro. “Há dois [novos pólos] na calha: um bastante avançado e um a começar, em Portugal continental”, disse.

Segundo o líder da Altice Portugal, estas novas unidades que estarão a ser negociadas com autarquias representam “áreas concretas” em que a empresa tem de atuar. Mas salientou: “A nossa preocupação não é a quantidade.”

“Altice e Governo nunca estiveram de costas voltadas”

O evento que a dona da Meo organizou esta sexta-feira em Aveiro contou com a presença de Pedro Siza Vieira, ministro Adjunto do primeiro-ministro. A mensagem que ficou associada ao evento foi de união entre a empresa e o executivo, depois de o verniz ter estalado quando António Costa, primeiro-ministro, ter tecido duras críticas à empresa em pleno Parlamento, quando Cláudia Goya ainda era CEO.

Na altura, António Costa disse temer que o ativo PT Portugal se tornasse num “novo caso Cimpor”: “Partilho consigo os receios sobre a evolução da PT. Porque receio bastante que a forma irresponsável como foi feita aquela privatização, possamos vir a ter um novo caso Cimpor e um novo desmembramento que ponha em causa não só os postos de trabalho como o futuro da empresa.”

Esta sexta-feira, o presidente executivo da Altice afastou a ideia de que haja um conflito entre a empresa e o Governo: “A Altice e o Governo nunca estiveram de costas voltadas. A Altice tem um projeto industrial, o Governo tem um projeto político para Portugal e de desenvolvimento, e são dois caminhos que nunca se cruzam e que não misturamos.”

Alexandre Fonseca acrescentou também: “Não somos políticos, não fazemos política, temos um projeto industrial. É isso que vamos continuar a fazer e o Governo é um parceiro como sempre foi, nos bons e nos maus momentos. É um parceiro de desenvolvimento do país.”

Não somos políticos, não fazemos política, temos um projeto industrial.

Alexandre Fonseca

Presidente executivo da Altice Portugal

Questionado pelo ECO sobre qual a mensagem transmitida por Pedro Siza Vieira nos bastidores do evento na Altice Labs, o líder da companhia reiterou: “A mensagem do senhor ministro foi claramente aquela que aqui vimos, que é a de estar exatamente no mesmo comprimento de onda, estar alinhado com a Altice e com a Altice Labs naquilo que é o programa que foi apresentado há uma semana pelo senhor primeiro-ministro para Portugal – o programa Go Portugal – que coloca a inovação como um fator de desenvolvimento económico do país.”

Desta forma, concluiu: “É uma mensagem de continuarmos a trabalhar, nós, Altice Portugal, e o Governo de Portugal, lado a lado, para promovermos o desenvolvimento económico através da inovação.”

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vêm aí mais dois pólos da Altice Labs em Portugal continental

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião