A manhã num minuto

  • Rita Frade
  • 1 Março 2018

Não sabe o que se passou durante a manhã? Fizemos um vídeo que reúne as notícias mais relevantes, em apenas um minuto.

A Associação Mutualista Montepio Geral aguarda parecer das Finanças para beneficiar de créditos fiscais, tal como bancos e empresas já usufruem. O Benfica vai liquidar 100 milhões da dívida à banca em março, revelou Domingos Soares de Oliveira em entrevista ao ECO24, isto ao mesmo tempo que continua a venda de jogadores.

A Associação Mutualista Montepio Geral está a estudar a possibilidade de também beneficiar de créditos fiscais, tal como acontece com bancos e empresas, com o objetivo de equilibrar as contas do grupo que em 2016 terão resultado em 300 milhões a 350 milhões de euros em capitais próprios negativos, sabe o ECO.

Em entrevista ao ECO24, o administrador da SAD do Sport Lisboa e Benfica revelou que a dívida à banca vai ser reduzida para valores marginais já em março. “Vamos fazer uma cessação de crédito relativamente ao contrato da Nos que nos vai permitir passar o passivo bancário dos 117 milhões de euros para um valor marginal”.

Depois de quatro meses a cair no final de 2017, a dívida pública começou 2018 com uma subida de 1.000 milhões de euros. O reembolso de 800 milhões ao Fundo Monetário Internacional (FMI) não foi suficiente para compensar o acréscimo na emissão de títulos de dívida pública, na ordem dos 2,2 mil milhões de euros. E janeiro terminou com a dívida nos 243,6 mil milhões de euros.

Habitualmente, na fábrica da Volkswagen em Palmela que emprega mais de 5.000 pessoas, as condições salariais para o ano seguinte são negociadas em setembro, entre a Comissão de Trabalhadores (CT) eleita pelos operários, e a administração da Autoeuropa.

A partir de hoje, e até dia 15 de março, pode reclamar de algumas despesas consideradas nas deduções à coleta de IRS, caso note que os valores não batem certo. Em causa estão as despesas gerais familiares e os gastos com direito à dedução de IVA por exigência de fatura.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A manhã num minuto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião