Notificação das avaliações atrasa descongelamento de carreiras

  • ECO
  • 2 Março 2018

"Os trabalhadores dizem que as classificações de que estão a ser notificados coincidem com aquelas que lhes tinham sido anteriormente comunicadas", apontam os sindicatos.

Os serviços têm de comunicar o valor atualizado dos pontos de avaliação de desempenho para que se possa avançar para o descongelamento das remunerações. Contudo, o processo de comunicação está a ser lento, dizem os sindicatos.

Temos recebido vários pedidos de ajuda, porque os trabalhadores dizem que as classificações de que estão a ser notificados coincidem com aquelas que lhes tinham sido anteriormente comunicadas“, explicou José Abraão, secretário-geral dos Sindicatos da Administração Pública em declarações ao Diário de Notícias. Noutros casos, os trabalhadores são notificados dos pontos sem justificação.

Também o Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) diz receber vários pedidos de ajuda, tanto porque os trabalhadores não conseguem perceber o teor da notificação, como porque não concordam com os pontos atribuídos.

Os trabalhadores progridem quando atingem os dez pontos na avaliação de desempenho. Têm direito a que lhes seja atribuído um ponto nos anos em que não tenham sido avaliados. Agora, os serviços têm de recuperar o período de descongelamento — os seis anos entre 2011 e 2017 — e comunicar os pontos com a discriminação anual e respetiva fundamentação.

A Direção-Geral da Administração e do Emprego Público publicou nesta semana uma minuta para a comunicação aos trabalhadores, numa tentativa de agilizar o processo. Nesta, pede-se a indicação dos resultados da avaliação relativos a cada ano e os pontos atribuídos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Notificação das avaliações atrasa descongelamento de carreiras

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião