Comprar casa em Lisboa é quase tão caro como em Madrid

O aumento dos preços das casas não aconteceram só em Portugal. Em Espanha, o cenário foi semelhante, com subidas de 5%. Embora Madrid esteja longe de ser a mais cara, Lisboa está quase nesse patamar.

Lisboa lidera preços em Portugal.Fotomontagem: Lídia Leão

Arrendar ou comprar casa está cada vez mais caro, e não é só em Portugal. Os preços em Espanha também dispararam e, para este ano, a tendência vai continuar. No entanto, contrariamente ao que se passa por cá, com Lisboa no pódio das cidades mais caras, em território espanhol, Madrid é apenas a sétima cidade mais cara para viver. Ainda assim, Lisboa está quase nessa fasquia.

De acordo com os dados disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no terceiro trimestre do ano passado, o preço médio por metro quadrado dos alojamentos familiares vendidos em Portugal situou-se nos 912 euros. Isto representou uma subida de 1,8% face ao trimestre anterior. Contudo, houve 41 cidades portuguesas cujos valores ultrapassaram esse valor nacional. Em Espanha, o cenário foi semelhante: segundo dados da Sociedad de Tasación, o preço médio das casas aumentou 5% em 2017, representando a maior subida dos últimos dez anos, atingindo os 2.227 euros por metro quadrado, escreve o Cinco Días (conteúdo em espanhol).

Ainda que ambos os países tenham registado subidas significativas no setor imobiliário, a verdade é que, em termos de cidades, o cenário não foi assim tão idêntico. Enquanto que, por cá, a zona da capital liderou nos preços, em Espanha, foram outras as cidades que lideraram a tabela. Lisboa continua a liderar a tabela como a cidade mais cara para comprar casa: 2.315 euros por metro quadrado.

Por sua vez, em território espanhol, San Sebastián ocupa essa posição, com um preço de 3.327 euros por metro quadrado. Esta cidade turística, localizada na Baía de Biscaia, no País Basco, aumenta a fasquia dos preços das casas para venda. Com uma população de 186.064 habitantes (de acordo com dados de 2016), é bastante famosa pelas suas praias de La Concha (na imagem) e de Ondarreta.

San Sebastián, Espanha (A cidade espanhola com o metro quadrado mais caro para comprar casa)

Voltado a Portugal, a segunda cidade onde é mais caro comprar um imóvel é Cascais, com um valor de 1.893 euros por metro quadrado. Mais ao lado, esta posição é ocupada pelo município de Sant Cugat del Vallès, em Barcelona, com um preço de 3.008 euros por metro quadrado. Considerado o oitavo município mais próspero de Espanha, apresenta um rendimento anual médio de 48.942 euros por habitante, bastante superior ao registado em Cascais — 13.900 euros, de acordo com o site Pordata.

Saltando para o terceiro lugar deste ranking: Loulé é a terceira cidade portuguesa onde os preços das casas são mais altos — 1.704 euros por metro quadrado, revelou o INE. Esta cidade algarvia, com uma população a rondar os 70 mil habitantes, é famosa pelas suas praias e mostra-se como uma das regiões mais turísticas do país. Em território espanhol, Loulé está ao nível da famosa cidade de Ibiza, na ilha com o mesmo nome, também conhecida pelas praias e festas em iates que atraem muitos turistas. Com uma população de cerca de 100 mil pessoas, o preço médio por metro quadrado fixa-se nos 3.002 euros.

Ibiza, Espanha (preço médio por metro quadrado: 3.002 euros)

E a quarta cidade espanhola mais cara para comprar casa é, finalmente, Barcelona. Com um preço médio de 2.992 euros por metro quadrado, a segunda cidade com mais população de Espanha — cerca de 1,6 milhões –, até ao ano passado constava no top 3 dos destinos espanhóis preferidos dos turistas. Contudo, com toda esta história que envolveu a Catalunha, a procura pela cidade caiu, fazendo-a descer alguns lugares nesse pódio, escreveu o El Confidencial (conteúdo em espanhol).

Já em Portugal, é mais uma cidade algarvia que detém o quarto preço mais alto por metro quadrado. Lagos tem um preço médio de 1.619 euros, à frente de Oeiras (1.572 euros) e Albufeira (1.524 euros). Tal como Loulé, também Lagos é famosa pelas suas praias e atrai milhares de turistas todos os anos durante a época do verão.

Saltando da quarta para a sétima cidade mais cara para comprar casa, voamos, finalmente, para a capital espanhola. Madrid ocupa a sétima posição deste ranking, com um preço de 2.750 euros por metro quadrado. Com uma população de cerca de 46 milhões de habitantes (comparando com os cerca de 500 mil de Lisboa), a cidade viu a sua procura quadruplicar face à oferta em 2017, de acordo com o jornal Libre Mercado (conteúdo em espanhol). Segundo dados da imobiliária Engel & Volkers, para este ano, as perspetivas são de um crescimento de 11% nos preços das casas e de 13% no volume de transações.

Madrid ocupa a sétima posição das cidades espanholas onde as casas são mais carasPixabay

E como não poderia ser deixada de parte, os preços na cidade do Porto são equivalentes aos da capital espanhola, representando, assim, a sétima cidade portuguesa onde as casas são mais caras. De acordo com o INE, o preço por metro quadrado na Invicta ascendeu aos 1.254 euros no terceiro trimestre do ano passado, crescendo 14,1% face ao trimestre anterior. Além disso, a cidade do Porto, com cerca de 200.000 habitantes, foi aquela que mais cresceu relativamente às cidades portuguesas de maior dimensão.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Comprar casa em Lisboa é quase tão caro como em Madrid

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião