Benfica. PGR investiga divulgação do e-toupeira na Internet

Gabinete de Joana Marques Vidal avançou ao ECO que violação de segredo de Justiça já está a ser apurada. Processo que envolve Paulo Gonçalves está disponível no blogue "Mercado do Benfica".

A Procuradoria -Geral da República admitiu ao ECO que a divulgação no blogue “Mercado de Benfica” do processo conhecido por e-toupeira está “em investigação”.

Esta sexta-feira, a Tribuna do Expresso divulgou que a investigação do DIAP (Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa) ao assessor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, no âmbito da operação e-toupeira, está disponível na Internet no blogue que recentemente tem divulgado várias publicações a atacar o clube da Luz.

O site avançou que o documento de 29 páginas, que se encontra em segredo de justiça, foi colocado nesse mesmo blogue que nos últimos meses revelou emails de dirigentes do clube da Luz.

Paulo Gonçalves é um dos arguidos do caso, relacionado com o acesso indevido a processos judiciais em segredo de justiça. Está indiciado por corrupção ativa e quatro crimes de violação do segredo de justiça, estes em coautoria com o técnico informático José Silva, funcionário do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça, o qual, por sua vez, está ainda indiciado de um crime de corrupção passiva, favorecimento pessoal, peculato, burla informática, falsidade informática e nove crimes de acesso ilegítimo.

José Silva terá acedido a dez processos judiciais, entre eles os dos e-mails e dos vouchers, e passado informações ao Benfica sobre os mesmos.

José Augusto Silva, que trabalha no departamento de informática dos tribunais de Fafe e Guimarães, terá tido acesso ao username e à password da magistrada Ana Paula Vitorino e assim terá acedido aos processos da 9.ª secção do DIAP de Lisboa”. Após se registar no computador com credenciais próprias ou de terceiros, o arguido José Silva, sem o conhecimento ou consentimento do titular das credenciais, terá inserido no Citius as credenciais da magistrada para aceder aos processos..

O blogue em causa também divulgou todo o conteúdo do processo relativo à oferta de bilhetes ao ministro das Finanças Mário Centeno, além dos emails e outras informações relativas ao Benfica e a processos judiciais.

As medidas de coação decididas pela juíza de instrução criminal, Cláudia Pina, foram mais gravosas para o técnico de informática do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça. Por ser funcionário judicial, ficou sujeito à medida de coação mais pesada, a prisão preventiva, tal como tinha sido pedido pelo Ministério Público.

Já Paulo Gonçalves pode continuar a exercer funções no clube liderado por Luís Filipe Vieira, isto apesar de o Ministério Público ter pedido para que o assessor jurídico da SAD fosse proibido de entrar no estádio da Luz.

Comentários ({{ total }})

Benfica. PGR investiga divulgação do e-toupeira na Internet

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião