José Silvano é o novo secretário-geral do PSD

Rio escolheu José Silvano para ser o novo secretário-geral, lugar deixado vago por Barreiras Duarte. O deputado foi o coordenador do grupo de trabalho do polémico diploma do financiamento partidário.

Rui Rio escolheu José Silvano para ser o novo secretário-geral, lugar deixado vago por Feliciano Barreiras Duarte. Segundo um comunicado dos social-democratas enviado às redações esta segunda-feira, o deputado “começará a exercer funções de imediato no partido”. José Silvano — que apoiou Rio na corrida interna — foi o coordenador do grupo de trabalho do financiamento dos partidos cujo diploma final aprovado pelo PSD, PS, PCP e BE foi vetado pelo Presidente da República e mereceu a crítica de Rio.

Contactado pelo ECO, José Silvano confirmou que aceitou o convite de Rui Rio, mas remeteu declarações para uma conferência de imprensa esta terça-feira na sede do PSD. No final do ano passado, o social-democrata esteve no centro das atenções por ter sido o coordenador do grupo de trabalho que acordou o polémico diploma sobre o financiamento partidário. Na altura, na qualidade de candidato, Rio atacou o processo liderado por José Silvano por ter sido “a correr para ver se ninguém vê”.

Esta nomeação deverá ser ratificada na próxima Comissão Política Nacional, agendada para 28 de março, e, posteriormente, no Conselho Nacional do PSD“, anuncia o partido em comunicado. Atualmente José Silvano pertence à comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos Liberdades e Garantias e é coordenador da comissão eventual para o Reforço da Transparência no Exercício de Funções Públicas.

A demissão de Feliciano Barreiras Duarte foi apresentada este domingo e aceite pelo presidente do PSD. O também deputado social-democrata decidiu sair após as polémicas sobre o seu currículo académico e sobre a morada fiscal que deu no Parlamento. “Espero que a minha demissão faça cessar os ataques à direção do PSD e permita que o Dr. Rui Rio“, lia-se no comunicado onde divulgou a decisão.

Um dia depois, Rio escolheu José Silvano para o lugar. O nome do deputado ainda terá de ser ratificado pela Comissão Política Nacional e pelo Conselho Nacional do PSD — neste último órgão a atual direção do partido não tem maioria.

José Silvano, de 61 anos, é natural de Vila Real, tendo sido presidente da Câmara Municipal de Mirandela. É licenciado em direito e, segundo o comunicado, já foi vogal da Comissão Política Nacional do PSD e membro do Conselho Nacional.

(Notícia atualizada às 19h45 com mais informação)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

José Silvano é o novo secretário-geral do PSD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião