Ativo tóxico do BPN pode forçar Mutualista a injetar capital na Montepio Seguros

  • ECO
  • 24 Março 2018

Se a venda de 60% da Montepio Seguros a um grupo chinês não avançar, a Associação Mutualista poderá ter de aumentar o capital da empresa. Em causa, a exposição a um ativo tóxico do antigo BPN.

Um dos ativos tóxicos do antigo BPN poderá forçar a Associação Mutualista Montepio Geral a um aumento de capital na Montepio Seguros, caso a venda da holding ao conglomerado chinês CEFC China Energy não se concretize.

A notícia é avançada este sábado pelo Público (acesso condicionado), que refere que a auditoria externa da KPMG exige à Lusitânia Seguros, da Montepio Seguros, que ajuste o valor patrimonial da empresa em menos 38,2 milhões de euros — tudo por causa da sua exposição à Real Seguros, que era do BPN.

O jornal refere que este anulamento de valor patrimonial pode ser preocupante para o grupo, na medida em que, somado aos prejuízos de 10,6 milhões de euros reportados pela empresa, aproximam os capitais próprios da linha vermelha.

O Público teve acesso a documentação que mostra como a KPMG chegou ao valor em causa, que exige que seja ajustado ao valor patrimonial da Lusitânia Seguros. Desde logo, o goodwill de 18,6 milhões de euros deve ser anulado porque a Real Seguros tem um valor residual e não se espera geração de valor no futuro. Depois, porque este ativo tóxico do BPN, adquirido há sete anos, tem imparidades no valor de 7,7 milhões de euros. Por último, os impostos diferidos da Lusitânia Seguros devem ser cortados em 12 milhões, porque a empresa regista prejuízos há sucessivos anos.

Com base nisto, a Associação Mutualista Montepio Geral, que é acionista da Montepio Seguros, poderá ver-se forçada a aumentar o capital da Lusitânia Seguros se a venda da Montepio Seguros à CEFC China Energy, que está em cima da mesa, acabe por não avançar.

O negócio de alienação de 60% da holding ao conglomerado chinês encontra-se em análise por parte da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões. Inclui, para além da Lusitânia Seguros, a Lusitânia Vida e a N Seguros. A avançar, daria novo fôlego financeiro à empresa.

Comentários ({{ total }})

Ativo tóxico do BPN pode forçar Mutualista a injetar capital na Montepio Seguros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião