Milhares nas ruas contra detenção de Carles Puigdemont. Será presente a um juiz na segunda-feira

Milhares de pessoas saíram às ruas em Barcelona numa manifestação contra a detenção do líder independentista Carles Puigdemont. Puigdemont vai ser presente a um juiz na segunda-feira.

Imagens emitidas pela RTP.

Milhares de pessoas saíram à rua este domingo em Barcelona, numa manifestação de solidariedade para com o líder do movimento independentista Carles Puigdemont, que foi detido na Alemanha quando regressava à Bélgica, onde se encontrava exilado. Imagens transmitidas pela RTP mostravam uma multidão nas ruas com bandeiras independentistas e cartazes com indicações como “presos políticos”, entre outras.

O ex-líder da Generalitat da Catalunha, exilado na Bélgica desde que proclamou e suspendeu a independência naquela região de Espanha, foi detido este domingo quando entrava na Alemanha. Regressava da Finlândia e foi intercetado pouco depois de cruzar a fronteira alemã com a Dinamarca. Puigdemont seguia de carro, na Autoestrada 7, segundo reportou a RTP. Agora, estará retido num estabelecimento prisional alemão.

Puigdemont vai ser presente na segunda-feira a um juiz para confirmação da identificação, anunciaram as autoridades alemãs. “O objetivo será apenas o de verificar a identidade da pessoa detida. O Tribunal Regional de Schleswig-Holstein, em Schleswig, terá depois de decidir se o Sr. Puigdemont deve ser detido para ser entregue a Espanha”, refere um promotor público alemão, em comunicado, citado pela agência de notícias francesa AFP.

A detenção surge na sequência de um mandato de detenção europeu e internacional emitido pelo Supremo Tribunal Espanhol na última sexta-feira, dia em que foram detidos cinco dirigentes independentistas catalães. No entanto, segundo a RTP, a detenção de Puigdemont terá resultado de uma operação articulada entre Espanha e Alemanha, e não de um acontecimento do acaso.

No local, para deter Carles Puigdemont, estariam “10 a 12 elementos” dos serviços secretos espanhóis e alemães, que estariam a seguir o ex-presidente catalão desde que deixara a Bélgica. Este domingo, o advogado do político, Jaume Alonso-Cuevillas, garantiu que “o tratamento” dado a Puigdemont “foi o correto em todos os momentos”. Agora, em cima da mesa estará a hipótese de Puigdemont vir a ser extraditado para Espanha, para ser presente a um juiz.

Na sexta-feira, a Justiça espanhola acusou 13 políticos antigos dirigentes catalães. Em causa, acusações de rebelião, crime que, segundo a RTP, é punido com até 30 anos de prisão. Destes, nove também são acusados de peculato e, entre eles, está Carles Puigdemont.

(Notícia atualizada às 17h39 com mais informações)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Milhares nas ruas contra detenção de Carles Puigdemont. Será presente a um juiz na segunda-feira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião