Puigdemont vai ser hoje ouvido pela justiça alemã

  • ECO
  • 26 Março 2018

Puigdemont vai ser ouvido, esta segunda-feira, pela justiça alemã. Catalão foi detido quando cruzava a fronteira alemã vindo da Dinamarca. Extradição do político está a ser discutida.

Carles Puigdemont vai ser ouvido, esta segunda-feira, pelo Tribunal Administrativo de Schelswig-Holestein, no norte da Alemanha. A detenção do político catalão — que aconteceu este domingo, quando regressava à Bélgica, onde se encontra exilado — abre um processo judicial sobre a possibilidade de ser extraditado para Espanha ou julgado em instância alemãs.

Até essa decisão estar tomada, em cima da mesa estão outras duas opções: a justiça alemã pode manter o líder do movimento independentista catalão sob custódia até ao início do processo de extradição (o que pode levar meses) ou decidir libertá-lo com medidas cautelares (à semelhança do que fez o tribunal belga).

“O objetivo será apenas o de verificar a identidade da pessoa detida. O Tribunal Regional de Schleswig-Holstein, em Schleswig, terá depois de decidir se o Sr. Puigdemont deve ser detido para ser entregue a Espanha”, referiu um promotor público alemão, em comunicado, citado pela agência de notícias francesa AFP.

A detenção de Puigdemont aconteceu no âmbito de um mandato internacional de captura, estando o catalão acusado de sedição e rebelião pela justiça espanhola. A operação terá resultado de uma parceria entre as autoridades de Espanha e da Alemanha: mais de uma dezenas de elementos dos serviços secretos terão estado a vigiar o político desde que saiu da Bélgica.

Na sequência deste acontecimento, milhares de pessoas saíram à rua, este domingo, em Barcelona, numa manifestação de solidariedade para com o líder do movimento independentista. Dois dias antes, cinco dirigentes independentistas tinham já sido detidos, também sob a acusação de sedição.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Puigdemont vai ser hoje ouvido pela justiça alemã

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião