Não se esqueça. Já começou o pagamento do IMI

Pagamento do IMI arrancou a 1 de abril e estende-se até final do mês. Se tem a pagar mais de 250 euros, pode fazer o pagamento em prestações. Uma novidade: já o pode fazer por débito direto.

Se tem de pagar o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), certamente já terá sido notificado pela Autoridade Tributária para não se esquecer de regularizar o imposto. Se não foi, então saiba que já pode fazê-lo desde este domingo.

Tem até ao último dia de abril para proceder ao pagamento da totalidade IMI se em causa estiver um valor de 250 euros. Neste caso há uma única prestação a liquidar. Para montantes mais elevados há lugar a mais prestações que devem ser liquidadas ao longo do ano. Quando?

Prazo para pagar o IMI estende-se até final do mês. Para valores acima dos 250 euros, há mais datas.Paula Nunes / ECO

Sempre que o IMI oscila entre 250 euros e 500 euros, o pagamento é feito em duas prestações: agora em abril e depois em novembro. Caso o imposto supere 500 euros, as prestações alargam-se para três a serem liquidadas em abril, julho e novembro.

Este ano há uma novidade: já pode pagar o IMI (e outros impostos) por débito direto, que se encontra disponível no Portal das Finanças. É disponibilizado aos contribuintes planos de pagamento em prestações e ainda opções quanto a montantes máximos de débito e datas em que o movimento é feito. O Governo diz que débito direto permitirá que os contribuintes evitem coimas e as custas associadas a processos de execução fiscal por falta de pagamento de imposto nos prazos legais.

O IMI incide sobre o valor patrimonial dos imóveis e varia em função da taxa que anualmente é decidida por cada município. A maioria dos conselhos decidiu manter o imposto em 2018. De acordo com os dados recolhidos pelo ECO, com base nos dados disponível no Portal das Finanças, 51 autarquias baixaram a taxa a cobrar este ano. Nem uma dezena de câmaras optou por subidas. Vale a pena conferir aqui qual a taxa de IMI aplicada por cada município.

Por outro lado, esteja também atento a isto: uma vez que as Finanças não atualizam o valor patrimonial tributário dos imóveis, que calcula o IMI a pagar, muitos contribuintes podem vir a pagar mais imposto do que deveriam pagar realmente, alertou a Deco. “Em causa estão três coeficientes que as Finanças poderiam atualizar automaticamente, mas só o fazem quando o proprietário toma a iniciativa”, explica a Deco.

Em média, cada consumidor pagou mais 100 euros do que deveria, diz a associação que disponibiliza no seu site um simulador “Pague Menos IMI”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Não se esqueça. Já começou o pagamento do IMI

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião