Bolsa de Lisboa começa a semana totalmente no vermelho

  • Marta Santos Silva
  • 3 Abril 2018

Depois de uma segunda de Páscoa sem negociar, o PSI-20 acordou esta terça com todas as cotadas a cair. A Mota Engil era a que registava a queda mais acentuada, que chegou aos 3% antes de normalizar.

A bolsa de Lisboa abriu esta terça-feira a cair, com todas as cotadas no vermelho e várias a perder mais do que 1%. O PSI-20 perdia mais de meio ponto percentual, numa maré vermelha que também abrangeu as principais praças europeias e que ontem fechou os índices bolsistas norte-americanos em queda.

Na segunda-feira de Páscoa, a bolsa de Lisboa seguiu o exemplo de muitas bolsas europeias e esteve fechada à negociação, tal como na sexta-feira que lhe antecedeu. Na última quinta, porém, o dia terminou com uma maré verde, com apenas uma cotada a fechar abaixo da linha de água. Esta terça-feira, o cenário é exatamente o oposto: todas as cotadas negoceiam no vermelho.

A Mota Engil era uma das que mais perdia à hora de abertura da bolsa, tendo chegado a cair mais do que 3% antes de normalizar para perdas de cerca de 1,4%, para os 3,22 euros. O índice lisboeta seguia o exemplo, a perder 0,69% para os 5368,28 pontos. Os CTT caíam mais de 2% e as papeleiras Semapa, Altri e Navigator seguiam-se-lhe nas maiores quedas.

Nenhuma cotada escapava ao vermelho, mas a Sonae e as energéticas, desde a REN à EDP passando pela Galp, estavam entre as que menos perdas registavam perto da hora de abertura.

Na Europa, o índice bolsista Stoxx 600 caía 0,6% à abertura, e não era o único: Frankfurt, Paris, Madrid e Londres caíam todos entre 0,9% e 0,4%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bolsa de Lisboa começa a semana totalmente no vermelho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião