Geração da internet está longe de abandonar lojas físicas

  • Juliana Nogueira Santos
  • 3 Abril 2018

Por mais ligados ao mundo que estejam, na hora de comprar os millennials continuam a preferir olhar para os vidros das lojas do que para os ecrãs dos telemóveis.

Compras online ou em loja física? Os millennials preferem ver as montras das lojas.Bruce Mars/Pexels

Os millennials são a geração da internet. Estes jovens andam permanentemente com o mundo na palma da mão, ligados através de um ecrã a milhares de pessoas. Mas na altura de fazer compras, e por mais oferta que exista online, estes continuam a preferir olhar pelos vidros das montras.

Segundo o Observador Cetelem Millennials, um estudo focado na faixa etária dos 18 aos 34 anos, 57% dos millennials europeus e 58% dos portugueses afirmam que gostam e lhes dá prazer fazem compras nas lojas físicas, uma ideia, que segundo o estudo, é quase contrária à visão digital da geração.

Ainda que exista cada vez uma oferta mais extensa, estes jovens preferem fazer suas compras presencialmente, com todos o benefícios que isso traz: a oportunidade de ver e experimentar antes de comprar, o atendimento personalizado, o imediatismo de ter o produto na mão assim que é comprado, etc..

O desafio está em saber como ir ao encontro das elevadas expetativas desta geração, com o objetivo de poder enfrentar os gigantes do mundo online. Até porque se são hoje relevantes, serão os principais atores e consumidores no futuro próximo.

Observatório Cetelem

O desafio está agora na mãos dos grandes retalhistas, como apontam os especialistas do Cetelem. “Para os diferentes players do retalho, o desafio está em saber como ir ao encontro das elevadas expectativas desta geração, com o objetivo de poder enfrentar os gigantes do mundo online. Até porque se são hoje relevantes, serão os principais atores e consumidores no futuro próximo”, lê-se ainda.

Como é esta nova geração de compradores?

Para além das preferências de consumo, o Cetelem quis também saber a perceção que as outras gerações têm dos mais jovens. “Em tempos de crise, os mais novos estiveram desencantados e até resignados. Por outro lado, é um hábito secular e continuamos a não fugir à regra: as gerações mais velhas tendem a fazer duros julgamentos das gerações mais novas”, pode ler-se no estudo.

No entanto, o que se verifica é exatamente o contrário. “Esta é uma geração positiva, com entusiasmo lúcido. Num momento em que o otimismo floresce, veem também o futuro com um ‘otimismo racional'”, conclui ainda estudo.

Já os jovens da Geração Y — ou seja, os que nasceram entre a década de 80 e 90 –, são destacados no estudo pela sua “orientação e dedicação ao trabalho, fruto da conjuntura económica do início da década, que privou muitos de oportunidades e os obrigou a atalhar por caminhos inicialmente pouco espectáveis”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Geração da internet está longe de abandonar lojas físicas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião