GNB Vida regressa aos lucros em pleno processo de venda

O negócio dos seguros do Novo Banco passou de prejuízos a lucros. Conseguiu um resultado positivo de 8,7 milhões de euros no último ano.

Depois de perder 85 milhões de euros no ano anterior, o GNB Seguros Vida voltou a dar lucros. Numa altura em que se última o processo de venda do negócio segurador do Novo Banco, apresentou, ao contrário do banco, um resultado positivo de 8,7 milhões de euros.

“A GNB Seguros Vida apresentou um resultado líquido de 8,7 milhões de euros em termos consolidados, o que representa um acréscimo de 94 milhões de euros (em termos consolidados) face ao ano anterior”, refere o ramo segurador do Novo Banco num comunicado enviado à CMVM.

Este resultado positivo deve-se sobretudo “à performance da atividade financeira alcançada durante o ano, essencialmente pelas valias realizadas (+91,4 milhões de euros) e pelo menor reconhecimento de imparidades (-28,4 milhões em termos consolidados)”.

O volume de negócio total do GNB Seguros Vida ascendeu a 149,3 milhões de euros no ano passado, o que corresponde a uma descida de 2,5% quando comparado com o período homólogo, refere a entidade. Uma queda, explica, que se deve à redução da produção de seguros PPR e da produção de seguros de capitalização.

O regresso aos lucros do GNB Seguros Vida acontece numa altura em que o processo de venda do ramo segurador do Novo Banco está na reta final. Nesta corrida, a Global Bankers foi a única instituição que passou à fase final de negociações direta para comprar o GNB Vida, colocado à venda no ano passado. Segundo apurou o ECO, este grupo internacional especializado em aquisições de seguradoras oferece 250 milhões de euros.

(Noticia atualizada às 23h40 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

GNB Vida regressa aos lucros em pleno processo de venda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião