GNR com quase 3.000 militares na prevenção e combate aos incêndios a partir de maio

  • Lusa
  • 8 Abril 2018

O MAI indica que este reforço na GNR insere-se no modelo de articulação entre prevenção e combate aos incêndios aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de 21 de outubro de 2017.

Quase três mil militares da Guarda Nacional Republicana vão integrar, a partir de maio, o sistema de prevenção e de combate aos incêndios rurais da GNR, avançou este domingo à Lusa o Ministério da Administração Interna (MAI).

O sistema de prevenção e de combate aos incêndios rurais da GNR vai contar com 1.882 militares no Grupo de Intervenção Proteção e Socorro (GIPS) e 1052 militares e civis no Serviço da Proteção da Natureza e Ambiente (SEPNA).

Segundo o MAI, os 408 militares da GNR que vão reforçar os GIPS da GNR iniciaram na semana passada o curso no Centro de Formação da Figueira da Foz, tendo 16 militares já terminado o curso de GIPS para graduados.

O MAI indica que este reforço na GNR insere-se no modelo de articulação entre prevenção e combate aos incêndios aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de 21 de outubro de 2017.

No âmbito deste modelo, de acordo com o MAI, foram também alargadas as Equipas de Intervenção Permanente (EIPS) nas áreas consideradas de risco, sendo criadas, até ao final do ano, mais 40 EIPS num total de 1524 bombeiros profissionais nas Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários.

Bombeiros vão estar presentes no Comando Nacional da Proteção Civil

O ministro da Administração Interna afirmou este domingo que, pela “primeira vez desde sempre”, a Liga dos Bombeiros estará presente no Comando Nacional de Operações e vai haver um aumento superior a 10% na remuneração dos operacionais.

“Teremos uma participação reforçada dos bombeiros no dispositivo, numa interligação que lhes permitirá estar, pela primeira vez desde sempre, presentes ao lado da Autoridade Nacional de Proteção Civil”, afirmou o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Questionado pela agência Lusa sobre as negociações com a Liga dos Bombeiros para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) de 2018, o membro do Governo sublinhou que a Liga dos Bombeiros vai estar presente no Comando Nacional e vai assumir funções de ligação “em todos os comandos distritais”.

Eduardo Cabrita informou ainda que a diretiva financeira que está a ser preparada determina “um significativo crescimento – superior a 10% – da remuneração dos bombeiros, quando integrados” no DECIF. O trabalho com a Liga dos Bombeiros, vincou, “tem corrido de forma exemplar”.

O ministro da Administração Interna falava aos jornalistas após presidir à comemoração do Dia da Unidade do Comando Territorial de Leiria da GNR, que decorreu hoje em Pedrógão Grande.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

GNR com quase 3.000 militares na prevenção e combate aos incêndios a partir de maio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião