Revista de imprensa internacional

  • ECO
  • 9 Abril 2018

De Puigdemont a Lula da Silva, passando pelo Brexit. O que marca as notícias na imprensa internacional?

A imprensa internacional continua de olhos postos em Carles Puigdemont. E no Brasil, o destaque vai para Lula da Silva. Mas há outros assuntos a marcar o dia, entre Brexit, Deutsche Bank e disputa comercial entre China e Estados Unidos. Veja aqui.

El País

Alemanha quer mais informação sobre desvio de fundos

Puigdemont continua em destaque na imprensa internacional. A Justiça alemã pediu mais informação para provar a existência de desvio de fundos e entregar o ex-presidente da Catalunha. O Tribunal Superior de Schleswig-Holstein já colocou Carles Puigdemont em liberdade, sob fiança, descartando o delito de rebelião. Leia mais no El País (conteúdo em espanhol).

Valor Econômico

Militantes montam acampamento perto da prisão

No Brasil é Lula da Silva que enche as páginas dos jornais. Assim que o ex-presidente se entregou, no sábado à noite, militantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do Movimento dos Sem-Terra (MST) começaram a montar um acampamento perto da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. A notícia está em destaque no Valor Econômico.

Reuters

O desafio do novo CEO do Deutsche Bank

O novo CEO do Deutsche Bank tem de encontrar rapidamente uma estratégia coerente para o banco. Christian Sewing disse que o Deutsche Bank se retiraria de áreas onde não era suficientemente lucrativo. E que analisaria como o Deutsche Bank quer posicionar o seu banco de investimento, deixando em aberto eventuais medidas estruturais. Investidores e analistas exigiram logo clareza sobre de onde virá o crescimento. Leia a notícia na Reuters (conteúdo em inglês).

The Guardian

Líderes europeus já aceitaram que o Reino Unido não vai cancelar Brexit

A União Europeia já aceitou que o Reino Unido não vai mudar de ideias sobre o Brexit e poderá nunca voltar ao bloco depois do divórcio, indicou um comissário europeu, ao mesmo tempo que avisou que a posição do país no mundo acabaria por ser reduzida, em vez de valorizada. Veja a notícia aqui (conteúdo em inglês).

Bloomberg

China estuda desvalorização do iuan como ferramenta na guerra comercial

A China está a estudar o impacto potencial de uma depreciação gradual do iuan enquanto os líderes do país avaliam as suas opções numa disputa comercial com o Presidente dos Estados Unidos, avançam fontes próximas do processo. Veja a notícia completa aqui (conteúdo em inglês).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião