Advogados da JPAB candidatam-se a delegados para o VIII Congresso dos Advogados Portugueses

José Pedro Aguiar-Branco, João de Castro Baptista, João Martins Costa e Nuno Sá Costa, advogados que integram a JPAB – José Pedro Aguiar-Branco Advogados, são os candidatos.

José Pedro Aguiar-Branco, João de Castro Baptista, João Martins Costa e Nuno Sá Costa, advogados que integram a JPAB – José Pedro Aguiar-Branco Advogados, são candidatos a delegados do VIII Congresso dos Advogados Portugueses, focado no tema “Uma Advocacia Forte numa Sociedade Mais Justa”, que irá decorrer nos dias 14, 15 e 16 de Junho, em Viseu.

João de Castro Baptista, sócio da JPAB, lidera uma das listas candidatas pelo Conselho Regional de Coimbra. José Pedro Aguiar-Branco, sócio fundador da JPAB, João Martins Costa e Nuno Sá Costa, associados da mesma firma, integram lista candidata pelo Conselho Regional do Porto.

“A JPAB sempre incentivou a participação dos seus advogados na vida da Ordem dos Advogados, organismo basilar do exercício da advocacia e pilar estruturante da afirmação da advocacia na defesa do Estado de direito democrático e dos direitos, liberdades e garantias dos cidadãos”, segundo comunicado do escritório.

A votação para a eleição dos Delegados ao VIII Congresso dos Advogados Portugueses irá decorrer entre os dias 12 e 16 de Abril de 2018. Este congresso realiza-se de cinco em cinco anos que será composto por 311 Delegados, cabendo ao Conselho Regional de Lisboa eleger 143, ao Conselho Regional do Porto 102, ao Conselho Regional de Coimbra 37, ao Conselho Regional de Évora 13, ao Conselho Regional de Faro 10, ao Conselho Regional da Madeira 4 e ao Conselho Regional dos Açores 2. Os temas em discussão são a Identidade da Profissão, a Tutela dos Direitos, a Administração da Justiça e o Aperfeiçoamento da Ordem Jurídica.

 

 

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Advogados da JPAB candidatam-se a delegados para o VIII Congresso dos Advogados Portugueses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião