Fitch avisa bancos portugueses: reduzam malparado enquanto economia é favorável

  • Lusa
  • 13 Abril 2018

Agência de rating avisa bancos do Sul da Europa, incluindo os de Portugal, para reduzirem malparado de modo a ficarem protegidos quando o ciclo económico inverter.

A Fitch avisou, esta quarta-feira, os bancos do Sul da Europa, entre eles os portugueses, para reduzirem os ativos problemáticos enquanto as condições económicas forem favoráveis, para ficarem mais protegidos quando o ciclo se inverter.

Segundo a agência de ‘rating’, em 2018 e 2019 deverá melhorar a qualidade dos ativos dos bancos europeus ajudada pelo crescimento económico, mas avisa que há uma diferença entre os bancos do Norte e do Sul da Europa, com estes últimos a apresentarem mais elevados montantes de crédito malparado e outros ativos problemáticos.

“Os non-performing loans [ativos problemáticos] continuam muito mais elevados no Sul da Europa do que no Norte e os bancos que não reduzirem os stocks podem ficar sob pressão quando o ciclo económico se alterar”, disse a Fitch numa nota sobre os bancos europeus.

A agência destacou, nomeadamente, que o rácio de empréstimos malparados continua acima de 10% (a média europeia) em sete países europeus, com Portugal a ocupar a terceira posição.

O país que tem um rácio mais elevado de crédito malparado face ao total do crédito concedido é a Grécia (44,9%), seguida de Chipre (38,9%), sendo Portugal o terceiro país com mais alto rácio, ainda que bem abaixo destes dois, nos 15,2%.

A Fitch diz ainda que a cobertura de reservas para ativos problemáticos em Portugal é apenas “média”, isto apesar da fragilidade do mercado imobiliários e do elevado endividamento do setor privado, não obstante os progressos feitos, ajudados pelas melhorias macroeconómicas.

A Fitch diz que os ativos problemáticos do setor bancário caíram cerca de 16% no primeiro semestre de 2017, mas que ainda eram 43 mil milhões de euros, quase um quarto do Produto Interno Bruto (PIB) de Portugal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Fitch avisa bancos portugueses: reduzam malparado enquanto economia é favorável

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião