Líder da maior agência de publicidade do mundo demite-se

Martin Sorrel demitiu-se este sábado com efeitos imediatos da presidência da WPP. Em causa está uma investigação por alegada má conduta. O chairman do grupo, Roberto Quarta assume posição.

Há mudanças na maior agência de publicidade do mundo. O fundador e presidente executivo da WPP abandonou o cargo, onde se mantinha há 33 anos, com efeitos imediatos.

Martin Sorrell, ex-CEO da WPP.World Economic Forum 28 janeiro, 2010

A saída de Martin Sorrel, acontece depois de a WPP ter surpreendido, no início do mês, o mercado ao anunciar que os advogados da empresa estariam a investigar o presidente executivo por alegada má conduta pessoal e uso indevido dos ativos da empresa, e antes de serem conhecidas as conclusões da investigação. Apesar de se ter demitido, Sorrel nega quaisquer irregularidades.

Na hora de despedida, em carta enviada à equipa da WPP este sábado, e divulgada pela Bloomberg, Sorrel adianta que a “perturbações atuais estavam a colocar muita pressão desnecessária sobre o negócio”. Sorrel diz que a decisão foi tomada a pensar no melhor para a empresa, para os seus clientes e acionistas.

“Obviamente que estou triste por deixar a WPP depois de 33 anos. Tem sido uma paixão, foco e fonte de energia, no entanto, acredito que é do melhor interesse do negócio que me demita agora”. E prosseguiu: “Como um dos fundadores, posso dizer que a WPP não é apenas uma questão de vida ou de morte. Sempre foi, e continuará a ser, mais importante do que isso. Boa sorte e fiquem com Deus…”, escreveu.

Obviamente que estou triste por deixar a WPP depois de 33 anos. Tem sido uma paixão, foco e fonte de energia, no entanto, acredito que é do melhor interesse do negócio que me demita agora.

Martin Sorrell

CEO da WPP demissionário

Na mesma carta, o fundador da maior agência de publicidade do mundo relembrou as origens humildes do grupo e que estão na base da construção de um império com mais de 400 agências repartidas por 112 países e que conta com mais de 200 mil funcionários. Sorrel enfatizou ainda que nos últimos 33 anos pensou todos os dias no futuro da empresa.

Sucessão em aberto

O chairman da empresa, Roberto Quarta, vai assumir provisoriamente o cargo de CEO, até que seja nomeado o substituto de Sorrel, adiantou a WPP em comunicado.

Os dois mais fortes candidatos a assumir o lugar de Martin Sorrel são Mark Read, diretor executivo da WPP e Andrew Scott, diretor de operações da Europa. Ambos foram nomeados como COO. A empresa já fez saber que vai considerar candidatos internos e externos num processo que poderá levar vários meses.

A Wire&Plastic Products foi criada em 1985, por Sorrel. Seguiram-se uma série de aquisições de empresas de publicidade que haviam de dar lugar à WPP. Sorrel tornava-se assim um líder destacado, sendo mesmo considerado insubstituível.

Nos últimos cinco anos, Sorrel ganhou cerca de 200 milhões de libras, valor que inclui rendimentos variáveis relacionados com o desempenho do grupo.

A Bloomberg avança, no entanto, que para além da investigação havia outros sinais de que Sorrel estava a perder o seu toque mágico. As estimativas financeiras da WPP eram consideradas muito otimistas e as ações perderam, no ano passado, um terço do seu valor, uma desvalorização muito superior à dos principais rivais.

Comentários ({{ total }})

Líder da maior agência de publicidade do mundo demite-se

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião