Fatura da Sorte vai continuar a andar à roda. Há 2,1 milhões de euros em certificados

Fatura da Sorte volta a andar à roda. Mais uma vez, os contribuintes que pediram fatura com número de identificação fiscal vão receber prémios. Até 2019, estão reservados 2,1 milhões de euros.

Os contribuintes que pediram fatura com número de contribuinte nas compras do último ano vão continuar a ter a oportunidade de participar no concurso Fatura da Sorte. De acordo com a portaria publicada, esta segunda-feira, em Diário da República, para 2018 e até abril de 2019, estão reservados 2,1 milhões de euros em Certificados do Tesouro Poupança Crescimento (CTPC).

Ao contrário do que aconteceu no ano passado, os prémios de 2018 passarão a ser constituídos por títulos de dívida destinados à poupança (CTPC) e não por subscrições dos Certificados do Tesouro Poupança Mais (CTPM), que foram suspensas. Em vez de um produto a cinco anos, os CTPC têm maturidade a sete anos. Dão um taxa bruta média anual de 1,38% que pode ser superior em função do PIB.

Criado em 2014, o concurso Fatura da Sorte foi uma ideia do Governo de Passos Coelho, procurando travar a fuga ao fisco. Apenas as faturas com número de identificação fiscal, que tenham sido validadas no portal das Finanças, contam para efeitos de sorteio de prémios que em 2018 vão manter o mesmo valor do ano passado.

Na primeira edição, foram oferecidos carros da marca Audi, mas os automóveis acabaram por ser substituídos por aplicações em títulos de dívida do Estado. A ideia foi deixar de passar uma mensagem consumista para utilizar a Fatura da Sorte como fator de promoção da poupança das famílias portuguesas.

(Notícia atualizada às 10h41)

 

Comentários ({{ total }})

Fatura da Sorte vai continuar a andar à roda. Há 2,1 milhões de euros em certificados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião