CTT batem novo mínimo e já valem menos de três euros

  • ECO
  • 17 Abril 2018

A bolsa nacional até fechou a valorizar ligeiramente, mas os CTT bateram no fundo e já valem menos de três euros. Esta quarta-feira, é dia de assembleia geral.

A bolsa nacional encerrou ligeiramente acima da linha de água, mas o destaque do dia vai para os CTT, que marcaram um novo mínimo, a fechar pela primeira vez abaixo dos três euros por ação.

Pela positiva, os pesos pesados Galp e a EDP terminaram o dia em terreno positivo, com subidas de 0,16% e 0,19%, respetivamente. No vermelho, ainda que o pior desempenho tenha pertencido aos CTT — com uma quebra de 2,97%, para 2,94 euros — esteve também a Jerónimo Martins, com um recuo de 0,94%, e o BCP, a deslizar 0,11%.

“A sessão de hoje no PSI20 é marcada pelo mínimo histórico dos CTT, provavelmente com alguma pressão da assembleia geral que se vai realizar amanhã”, avançou Paulo Rosa, trader da Go Bulling, à Reuters.

“Os CTT têm sofrido vários cortes na recomendação recentemente. Uma das mais recentes foi a do Caixa BI que cortou de ‘buy’ para ‘neutral’ e ainda reduziu o preço-alvo para 3,10 euros por ação. Tudo isto ajuda a explicar os mínimos de hoje”, acrescentou.

Lá fora, o índice de referência na Europa, Stoxx 600, valorizou 0,88%. Os investidores estão atentos à tensão entre Estados Unidos e Rússia, mas isso não se refletiu hoje nos resultados.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CTT batem novo mínimo e já valem menos de três euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião