Vem aí um novo modelo de mensagens da Google. Vai chamar-se “Chat”

  • Rita Frade
  • 22 Abril 2018

Os dispositivos Android vão ter, em breve, um novo modelo de mensagens. Vai chamar-se "Chat" e pretende substituir as velhinhas "SMS".

Os dispositivos Android vão ter, em breve, um novo modelo de mensagens, o “Chat”.Pixabay

Se tem um telemóvel Android, então prepare-se para a novidade que aí vem: o Google vai lançar um novo modelo de mensagens, o “Chat”, que irá substituir as velhinhas “SMS”.

Isto não significa que os utilizadores tenham de fazer download de mais uma aplicação ou criar uma nova conta. O “Chat” já virá instalado na grande maioria dos dispositivos Android.

Mas esta funcionalidade não vem só substituir as tradicionais mensagens de texto. Vem também fazer concorrência ao iMessage, da Apple.

O “Chat” baseia-se num sistema “RCS” (“Rich Communications Services”), um novo modelo de mensagens de texto que opera em redes de dados e que, atualmente, é compatível com a maioria das fabricantes de telemóveis.

Mas, se se “estiver a mandar mensagem a alguém que não tenha o ‘Chat’ ativo ou que não seja um utilizador Android as mensagens serão automaticamente revertidas para SMS — da mesma forma que o iMessage faz”, escreve a publicação The Verge.

Uma das mais-valias do “Chat” é que os utilizadores vão poder enviar mensagens de texto mais longas e ter acesso a funcionalidades que aplicações como o “WhatsApp” ou o “Messenger” já têm, isto é, ter acesso a recibos de leitura, partilhar imagens e vídeos de alta resolução, criar grupos, entre outras.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vem aí um novo modelo de mensagens da Google. Vai chamar-se “Chat”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião