BCP cai 3% e arrasta Lisboa. PSI-20 contraria Europa

  • Juliana Nogueira Santos
  • 26 Abril 2018

Em dia de decisões no Banco Central Europeu, o PSI-20 caiu com a pressão de 3% do BCP e contrariou a Europa.

O Banco Central Europeu (BCE) manteve inalterada a sua política de estímulos, decisão tomada na última reunião de política monetária. A decisão já era esperada pelos analistas, pelo que os mercados europeus fecharam em alta. Menos Portugal.

Em declarações aos jornalistas, Mario Draghi caracterizou como “inesperado” o resultado de certos indicadores económicos, que sugerem um abrandamento da economia da Zona Euro, mas afirma não haver motivos para rever as perspetivas em torno da mesma.

“Os indicadores económicos sugerem certa moderação no ritmo de crescimento desde o início o ano”, começou por dizer o presidente do BCE, justificando logo de seguida que “essa moderação pode, em parte, refletir uma queda do elevado ritmo de crescimento observado no final do ano passado”.

O otimismo moderado expresso pelo líder do banco central foi suficiente para afastar os índices europeus de perdas. Mas Portugal, e especialmente o setor bancário, não acompanharam o registo. O BCP cumpriu assim o segundo dia de perdas.

BCP treme em dia de BCE

O PSI-20 perdeu 0,4% para 5.515,77 pontos, com o BCP a ser o mais castigado. O banco liderado por Nuno Amado caiu 3,12% para 27,95 cêntimos. Fora do índice principal, o banco BPI também deslizou 1,34%, cotando nos 1,18 euros.

Assim, foram mais as cotadas do PSI-20 que caíram do que aquelas que resistiram à pressão — 11 contra sete. A EDP perdeu 1% para 3,17 euros, a retalhista Sonae caiu 1,49% para 1,12 euros, enquanto os CTT desvalorizaram 0,52% para 3,03 euros.

Em terreno positivo ficaram alguns pesos pesados. A Galp Energia avançou 0,67% para 15,88 no dia antes de apresentar resultados e a Jerónimo Martins ganhou 0,21% com a apresentação de lucros de 85 milhões de euros. Já a Corticeira Amorim, que celebra esta quinta-feira três décadas em bolsa, encerrou a sessão de aniversário a subir 0,74%.

Na Europa o cenário foi bem diferente. O agregador Stoxx 600 avançou perto de 1%, bem como o britânico FTSE. O espanhol IBEX-35 ficou-se por um avanço de 0,86%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCP cai 3% e arrasta Lisboa. PSI-20 contraria Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião