Mais de um quarto dos inquilinos está em risco de pobreza. É quase o dobro dos proprietários

O risco de pobreza tem vindo a cair nos últimos anos, mas mantém-se muito mais elevado entre quem arrenda casa. O Governo calcula que 35% dos inquilinos tenha sobrecarga de custos com a habitação.

Numa altura em que o Governo quer aprovar uma série de programas para introduzir alterações ao mercado de arrendamento, o Instituto Nacional de Estatística (INE) vem divulgar novos dados que ilustram os desequilíbrios deste mercado. A taxa de risco de pobreza entre aqueles que arrendam casa é o dobro da que se verifica entre proprietários. Ainda assim, o risco de pobreza entre ambos tem vindo a diminuir.

Os dados, divulgados esta segunda-feira pelo INE, são relativos a 2016. Nesse ano, a taxa de risco de pobreza após transferências sociais (onde se incluem rendimentos do trabalho e outros rendimentos privados, pensões de velhice e sobrevivência) era de 18,3% entre a população portuguesa. O risco é, contudo, muito diferente entre quem detém e quem arrenda casa.

Entre os proprietários e aqueles a quem é cedida gratuitamente uma casa, o risco de pobreza após transferências era de 16,1% em 2016, abaixo da média global e abaixo dos valores registados desde 2013, ano em que esta taxa era de 16,6%.

Já entre os arrendatários, a taxa de risco de pobreza tem vindo a cair a um ritmo mais acelerado, mas mantém-se muito acima da dos proprietários. Em 2013, a taxa era de 33,3%, tendo baixado para 29,3% em 2016.

O documento divulgado esta segunda-feira pelo INE mostra ainda que apenas 6,7% do população portuguesa tem uma sobrecarga de custos com habitação. Ou seja, as despesas relacionadas com a casa têm um custo superior a 40% do rendimento disponível para 6,7% das famílias.

Contudo, o INE não faz a distinção entre quem detém e quem arrenda casa. No âmbito da Nova Geração de Políticas de Habitação, o Governo calcula que 35% da população que vivem no regime de arrendamento tem uma sobrecarga de despesas da habitação, uma proporção que pretende reduzir para 27%.

Para além da sobrecarga de custos com habitação, o INE dá ainda conta de que 4% da população está em situação de privação severa das condições de habitação e outros 9,3% estão numa habitação sobrelotada.

Comentários ({{ total }})

Mais de um quarto dos inquilinos está em risco de pobreza. É quase o dobro dos proprietários

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião