Ministro da Defesa visita Angola entre tensão diplomática

  • ECO
  • 7 Maio 2018

Ainda não é conhecido se Azeredo Lopes poderá reunir com o seu homólogo na visita a Angola, que vai decorrer no âmbito da cooperação técnico-militar com os membros da CPLP.

O ministro da Defesa deverá visitar Angola nas próximas duas semanas, de acordo com informação avançada pelo Diário de Notícias e confirmada junto do Governo por jornais incluindo o Expresso e o Público. A visita de Azeredo Lopes chega numa altura em que as relações diplomáticas entre Portugal e Angola estão tensas.

O Presidente angolano, João Lourenço, congelou as relações com Lisboa, em parte devido ao processo Operação Fizz, com a constituição como arguido do ex-vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente. As autoridades angolanas consideram que o processo deveria ser transferido para Angola, mas Portugal rejeita essa proposta. Angola está a atrasar a entrada em funções do seu embaixador em Lisboa, apesar do sucessor de José Marcos Barrica já ter o agrément do Presidente Marcelo Rebelo de Sousa.

A visita de Azeredo Lopes vai ser realizada no contexto da cooperação técnico-militar entre Portugal e os países pertencentes à Comunidade de Países de Língua Oficial Portuguesa (CPLP), que já levou à visita do mesmo ministro a São Tomé e Príncipe e a Moçambique. Ainda não se sabe se Azeredo Lopes se poderá encontrar com o seu homólogo angolano.

Recorde-se que Francisca van Dunem, a ministra da Justiça, tinha uma visita agendada para Angola que foi cancelada pouco antes da viagem, após o congelamento de visitas de alto nível entre os dois países.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ministro da Defesa visita Angola entre tensão diplomática

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião