BCP continua a brilhar. CTT “escapam” à Anacom em Lisboa

A bolsa de Lisboa registou ganhos ligeiros, suportados nas valorizações do BCP, mas também dos CTT. O petróleo em máximos de quatro anos deu força à Galp Energia.

A bolsa de Lisboa encerrou em terreno positivo, numa sessão de ganhos ligeiros que assentaram num bom desempenho dos setores da banca e dos correios. A praça nacional acompanhou a tendência das restantes praças europeias, num dia em que o petróleo acelerou nos mercados internacionais depois da saída dos EUA do acordo nuclear com o Irão.

Numa sessão em que o índice de referência europeu Stoxx 600 fechou a valorizar 0,48%, o PSI-20 avançou 0,19% para os 5.550,17 pontos. A puxar pela bolsa portuguesa esteve, principalmente, o BCP. O banco liderado por Nuno Amado ainda beneficia do aumento de 70% nos lucros, anunciado no início da semana, fator que levou as ações da instituição a valorizarem 1,64% para 29,67 cêntimos esta quarta-feira.

A dar ânimo ao índice estiveram também as ações dos CTT. Os títulos da empresa de correios ganharam 1,78% para os 3,198 euros, mesmo depois de se saber que a empresa vai ter de baixar o preço do correio por não ter cumprido dois indicadores de qualidade do serviço postal universal durante o ano passado. A decisão, anunciada esta terça-feira pela Anacom, não se refletiu na bolsa.

Ainda uma nota positiva para o desempenho da Galp Energia. As ações da petrolífera portuguesa beneficiam da decisão de Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo nuclear com o Irão, o que deverá reduzir a oferta de petróleo no mercado, tendo subido 0,92% para 16,44 euros. Isto num dia em que o barril de Brent, referência para as importações nacionais, avança 2,99% e negoceia a 77,09 dólares, um máximo de quatro anos.

Em contrapartida, a Pharol e a Mota-Engil registaram os piores desempenhos desta sessão, com quedas de, respetivamente, 3,66% e 1,38%. Mas o foco esteve nas ações da EDP Renováveis. Mesmo depois de anunciar uma subida do lucro na ordem dos 39%, a empresa caiu 1,37% em bolsa. Os títulos da companhia de João Manso Neto valem agora 7,93 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCP continua a brilhar. CTT “escapam” à Anacom em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião