Acionistas do Sporting aprovam adiamento de reembolso de obrigações

  • Lusa
  • 11 Maio 2018

A AG da Sporting SAD aprovou a alteração da data do reembolso das obrigações para 26 de novembro e autorizou a administração a efetuar novas emissões até final do ano, até um máximo de 60 milhões.

A Assembleia Geral da Sporting SAD aprovou hoje a alteração da data do reembolso das obrigações para 26 de novembro e autorizou a administração a efetuar novas emissões até final do ano, até um máximo de 60 milhões de euros.

O reembolso do empréstimo obrigacionista de 2015, no valor de 30 milhões de euros, previsto para de 25 de maio, far-se-á ao valor nominal, de uma só vez, em 26 de novembro, o que implica a alteração da cláusula relativa ao prazo do empréstimo, que passa a ser de três anos e meio.

Os demais termos e condições das obrigações mantêm-se inalterados, designadamente em relação ao pagamento de juros, os quais continuarão a ser devidos, calculados e pagos até à nova data de reembolso nos atuais termos e condições da ficha técnica, razão pelo qual haverá lugar ao normal pagamento semestral de juros, em 25 de maio e em 26 de novembro.

A alteração da data de reembolso e do prazo do empréstimo ora proposta fica sujeita a aprovação pelo Conselho de Administração da sociedade, com o parecer favorável do Conselho Fiscal, em conformidade os estatutos da sociedade, bem como a aprovação de idêntica deliberação por parte da Assembleia Geral de Obrigacionistas.

A Assembleia deliberou ainda conceder ao Conselho de Administração autorização para uma ou mais emissões obrigacionistas até final de 2018, até ao montante máximo global de 60 milhões de euros, a realizar mediante ofertas públicas de subscrição de obrigações ordinárias, com uma maturidade não superior a quatro anos e com o valor nominal unitário de cinco euros.

As duas propostas apresentadas pelo Conselho de Administração da Sociedade obtiveram 427.838 votos a favor, nenhum voto contra e 200.000 abstenções.

A deliberação de hoje relativa ao prazo do empréstimo terá de ser aprovada em Assembleia Geral de obrigacionistas que decorrerá a 20 de maio próximo, depois de a reunião magna marcada para o passado dia 4 de maio ter sido adiada por falta de ‘quorum’.

Para haver decisões quanto ao plano de reembolso do empréstimo obrigacionista de 2015 seria necessário que estivessem representadas metade das obrigações emitidas, que foram seis milhões, mas apenas estiveram no Estádio José Alvalade titulares de um por cento desse total.

A proposta de adiamento do reembolso aconteceu na sequência de um período de instabilidade diretiva no clube, após declarações em que o presidente, Bruno de Carvalho, criticou os jogadores da equipa de futebol, levando o presidente da Mesa da AG, Jaime Marta Soares, a considerar que o líder ‘leonino’ não tinha condições para continuar.

A administração da SAD considerou então que esta não era a melhor altura para efetuar uma nova emissão obrigacionista e proceder ao reembolso dos títulos que atingiam a maturidade em 25 de maio.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Acionistas do Sporting aprovam adiamento de reembolso de obrigações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião