China Three Gorges quer elétrica nacional a liderar Europa, Américas e países lusófonos

Para tornar a EDP em líder do setor das energias renováveis, o grupo chinês pretende cortar custos e reduzir a dívida da elétrica portuguesa, que no final de 2017 ascendia a 13,9 mil milhões de euros.

A China Three Gorges, maior acionista da EDP, lançou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a elétrica portuguesa. O objetivo é utilizar a empresa portuguesa como veículo para a expansão internacional do grupo estatal chinês, que pretende tornar-se líder global no setor das energias renováveis. Europa, Américas e países lusófonos são os alvos e, para chegarem ao topo nestes mercados, os chineses querem cortar custos e dívida.

A intenção é manifestada no anúncio preliminar de lançamento da OPA, enviado na sexta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). “A oferente pretende que a sociedade visada venha a liderar as operações e a expansão do grupo China Three Gorges Corporation na Europa, nas Américas e nos países lusófonos”, pode ler-se no documento.

Para isso, refere o prospeto, “o grupo China Three Gorges Corporation poderá vir a considerar a aportação de ativos relevantes, visando fortalecer a posição da sociedade visada no mercado”. Esta “aportação de ativos” — regra geral, de natureza financeira — teria como objetivos a “racionalização de portefólios de negócio combinados, o fortalecimento do perfil de crédito da sociedade visada, através da redução do seu rácio de alavancagem, e a criação de valor adicional, através da poupança de custos”.

Leia-se: para tornar a EDP numa empresa líder no setor das energias renováveis, o grupo chinês pretende cortar custos e reduzir a dívida da elétrica portuguesa, que no final de 2017 ascendia a 13,9 mil milhões de euros.

Atualmente, a EDP já tem atividade em 14 países, distribuídos por quatro continentes: Europa, África, América e Ásia. Canadá, EUA, México, Brasil, Bélgica, França, Espanha, Itália, Reino Unido, Polónia, Roménia, Angola e China são os países, para além de Portugal, onde a EDP já atua. É a terceira maior empresa de produção de eletricidade da Península Ibérica e um dos maiores distribuidores de gás desta mesma zona. Mas fica ainda muito atrás das maiores elétricas do mundo, algumas das quais europeias, como a britânica National Grid, a italiana Enel, a espanhola Iberdrola ou a francesa Engie.

Mesmo com a expansão, a China Three Gorges garante que pretende assegurar a “identidade portuguesa” da EDP, mantendo-a cotada na bolsa de Lisboa e sedeada em Portugal.

Comentários ({{ total }})

China Three Gorges quer elétrica nacional a liderar Europa, Américas e países lusófonos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião