Chineses têm até ao final de maio para registar OPA à EDP

  • Lusa
  • 12 Maio 2018

O grupo chinês tem agora 20 dias para fazer a entrega do prospeto da OPA no regulador dos mercados financeiros, com o pedido de registo da operação.

A China Three Gorges (CTG) tem até final de maio para fazer o pedido de registo da Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a EDP junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), segundo a lei.

A China Three Gorges (que já é o maior acionista da EDP com 23% do capital) anunciou hoje o lançamento de uma OPA voluntária sobre o capital da EDP, oferecendo uma contrapartida de 3,26 euros por cada ação.

Segundo o código de valores mobiliários, o grupo tem agora 20 dias para fazer a entrega do prospeto da OPA no regulador dos mercados financeiros, com o pedido de registo da operação.

A CMVM tem, então, oito dias (seguidos) para o conceder ou recusar, podendo o prazo ser prorrogado caso haja pedidos de informação complementares, o que muitas vezes acontece.

Quanto à empresa que é alvo da OPA, a EDP, a sua administração tem de, no prazo de oito dias após receber o projeto de prospeto, de divulgar um documento sobre “a oportunidade e as condições da oferta”.

A administração liderada por António Mexia poderá vir a considerar esta uma OPA hostil.

Quanto ao prospeto da oferta, esse só pode ser divulgado após aprovação pela CMVM.

A oferta tem, pela lei, um prazo que pode variar entre duas e 10 semanas.

A OPA pode ainda vir a ser revista nos seus termos, desde logo a contrapartida oferecida, antes do fim do prazo da oferta.

O grupo chinês CTG anunciou hoje também uma OPA sobre o capital da EDP Renováveis, oferecendo uma contrapartida de 7,33 euros por cada ação, mas fez essa operação depender do sucesso da OPA sobre a EDP.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Chineses têm até ao final de maio para registar OPA à EDP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião