Álvaro Sobrinho admite sair da SAD se Bruno de Carvalho não abandonar presidência

O segundo maior acionista da SAD do Sporting diz que Bruno Carvalho não tem opção a não ser demitir-se, mas admite que se este não o fizer, a Holdimo "terá de rever a sua posição" na cotada.

Álvaro Sobrinho não tem dúvidas: Bruno de Carvalho e a sua direção têm que se demitir. Caso tal não aconteça, o presidente da Holdimo que é o segundo maior acionista da SAD do Sporting admite rever a sua posição na cotada.

Confrontado numa entrevista concedida à SIC Notícias na tarde desta quinta-feira, com uma eventual recusa de Bruno de Carvalho em demitir-se, o empresário angolano não tem dúvidas na resposta. “Aí, a Holdimo terá de rever a sua posição”, na SAD admite Álvaro Sobrinho, tentando encostar Bruno de Carvalho “à parede” de modo a este demitir-se, dizendo contudo não acreditar que o presidente dos leoninos não opte por essa via.

As declarações de Álvaro Sobrinho ao canal televisivo surgem depois de este ter pedido a demissão de Bruno de Carvalho do Sporting SAD. Em declarações ao Jornal Económico, o segundo maior acionista da SAD do Sporting disse esta quinta-feira que Bruno de Carvalho “não merece confiança e deve apresentar a demissão”. Álvaro Sobrinho afirmou ainda que este “está a pôr em risco os ativos da empresa“.

O empresário disse ainda à SIC Notícias que “no Sporting SAD, vamos fazer tudo, absolutamente tudo, para o demitir da direção do clube”.

O objetivo da Holdimo passa agora por pedir uma assembleia de acionistas da SAD leonina para levar a bom porto as suas pretensões de tirar o Sporting da crise. “É na SAD e não no clube que existem os maiores estragos”, assegura o empresário angolano.

Entre os estragos mais visíveis, está a derrocada das ações do Sporting SAD. Nesta quinta-feira tombaram mais de 17%, para os 63 cêntimos, após uma onda de demissões e a recusa de Bruno de Carvalho em deixar o cargo.

Relativamente a um eventual sucessor para Bruno de Carvalho, Álvaro Sobrinho diz que não lhe compete essa decisão, mas frisou que “no futuro temos de pensar numa equipa mais profissional”.

(Notícia atualizada às 18h48 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Álvaro Sobrinho admite sair da SAD se Bruno de Carvalho não abandonar presidência

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião