Governo aposta em formação mais barata para a Função Pública

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 23 Maio 2018

Centeno garante aposta em formação. Aponta para o programa Qualifica AP, a apresentar em breve, para o curso de estudos avançados para quadros qualificados e para protocolos com instituições de ensino

O ministro das Finanças apontou esta quarta-feira para o reforço das qualificações dos trabalhadores do Estado, indicando que será apresentado em breve o programa Qualifica AP. Mário Centeno falou ainda no Curso de Estudos Avançados em Gestão Pública para recrutar “quadros altamente qualificados” e em protocolos com instituições de ensino, incluindo ensino superior e politécnico, “com oferta formativa a preço mais baixo para trabalhadores públicos, incentivando assim a autoformação”.

Falando na comissão parlamentar de Trabalho, Mário Centeno indicou ainda que será aprovado o mapa anual consolidado de “recrutamentos autorizados”, que agrega e decide o plano de recrutamento de cada departamento governamental, em linha com o orçamento disponível e com a previsão plurianual para o quadriénio seguinte das entradas e saídas de trabalhadores na Administração Pública. Na sequência da aprovação deste mapa, explicou o ministro, serão realizados concursos para a constituição de reservas centralizadas para os postos de trabalho previstos nos mapas de pessoal “de mais do que um órgão ou serviço”, o que permitirá ganhos de eficiência.

O Governo também quer melhorar a organização e gestão pública, defendendo o papel “fundamental” dos dirigentes e da gestão “com inovação”. Neste sentido, anunciou que o Governo vai apresentar um conjunto de incentivos à inovação na gestão da Administração Pública, previsto na lei de Orçamento do Estado para 2018 “e que terá seguramente resultados mensuráveis.

PREVPAP: deliberados 11.575 pareceres favoráveis

Já sobre o programa de regularização de vínculos precários, Mário Centeno afirmou que esta semana estão deliberados 11.575 pareceres favoráveis pelas Comissões de Avaliação Bipartida, acrescentando que foram homologados 6.679, referentes à administração direta e indireta. Os serviços já estão a preparar a abertura de procedimentos concursais respetivos, vincou Centeno. De acordo com o ministro, 167 concursos já estão abertos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo aposta em formação mais barata para a Função Pública

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião