Órgãos sociais do Sporting reúnem-se para debater futuro imediato do clube

  • Lusa
  • 24 Maio 2018

Os órgãos sociais do Sporting voltam a reunir-se para debater o futuro imediato do clube, dois dias depois de um encontro inconclusivo, na sequência das agressões a futebolistas do clube.

Os órgãos sociais do Sporting voltam a reunir-se para debater o futuro imediato do clube, dois dias depois de um encontro inconclusivo, na sequência das agressões a futebolistas do clube na semana anterior.

Depois de uma reunião que durou quatro horas na terça-feira, o presidente demissionário da Mesa da Assembleia Geral, Jaime Marta Soares, disse que o encontro com a direção liderada por Bruno de Carvalho tinha sido essencialmente “de reflexão e muita serenidade”.

Marta Soares justificou que o facto de não ter sido tomada qualquer decisão deveu-se “à necessidade de se fazer as análises não precipitadas de tudo aquilo que deve ser as decisões que são necessárias implementar para resolver os problemas do Sporting”.

No dia 15 de maio, dezenas de alegados adeptos encapuzados invadiram a Academia do Sporting, em Alcochete, e agrediram alguns jogadores e elementos da equipa técnica.

A GNR deteve 23 dos atacantes, que ficaram em prisão preventiva depois de terem sido ouvidos no tribunal de instrução criminal do Barreiro.

Paralelamente, no âmbito de uma investigação do Ministério Público sobre alegados atos de tentativa de viciação de resultados em jogos de andebol e futebol tendo como objetivo o favorecimento do Sporting, foram constituídos sete arguidos, incluindo o ‘team manager’ do clube, André Geraldes.

Na sequência destes acontecimentos, os elementos da Mesa da Assembleia Geral, a maioria dos membros do Conselho Fiscal e parte da direção apresentaram a sua demissão, defendendo que Bruno de Carvalho não tinha condições para permanecer no cargo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Órgãos sociais do Sporting reúnem-se para debater futuro imediato do clube

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião