Justiça brasileira arresta 200 milhões em bens ao GES

  • ECO
  • 3 Junho 2018

Foram arrestados bens do Grupo Espírito Santo no Brasil no valor superior a 200 milhões de euros, na sequência de um pedido do Ministério Público português ao Brasil.

A Justiça brasileira arrestou o património do Grupo Espírito Santo (GES) no Brasil, incluindo bens móveis, imóveis e valores mobiliários de 28 empresas do grupo. O arresto preventivo foi feito a pedido do Ministério Público português. O valor património arrestado será superior a 200 milhões de euros.

O Correio da Manhã (acesso pago), que avança com a notícia, cita um acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa onde se adianta que o património dessas entidades foi arrestado em outubro de 2016, depois de uma carta rogatória expedida pelo Ministério Público português, no âmbito da investigação ao GES.

Entre as 28 empresas do grupo identificadas pelo acórdão datado de julho de 2017estão a Rioforte, Property Brasil, Luzboa, Companhia Agrícola Botucatu e Companhia Brasileira de Agropecuária Cobrape. Ainda assim, não são identificados os bens que foram arrestados.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Justiça brasileira arresta 200 milhões em bens ao GES

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião