BE quer conhecer influência de vistos gold na especulação imobiliária

  • ECO
  • 23 Junho 2018

O deputado José Manuel Pureza diz que o Bloco de Esquerda quer conhecer "com rigor" o impacto do regime dos vistos gold na especulação imobiliário em Lisboa e no Porto.

Depois de ter apresentado um projeto de lei que pretende eliminar os vistos gold, o Bloco de Esquerda quer agora conhecer “com rigor” a influência desse regime “no aumento dos preços da habitação” em Lisboa e no Porto.

Ao Diário de Notícias, o deputado José Manuel Pureza avança que o partido enviou um requerimento ao Governo com dois objetivos: obter “informação rigorosa por concelhos de cada área metropolitana relativamente à atribuição de vistos para compra de imobiliário” e conhecer a avaliação “do impacto desta medida em matéria de inflação dos preços da habitação”, isto é, conhecer o efeito deste regime na “especulação imobiliária”.

No requerimento em causa, o partido defende mesmo que “a especulação está a escorraçar dos centros urbanos e do acesso à habitação faixas da população, como os/as jovens e as pessoas idosas”, daí a importância desta análise. Mais, de acordo com o deputado, só com “informação rigorosa” será possível à sociedade e ao Parlamento avaliar esta medida.

Além do setor imobiliário, os bloquistas também querem saber “quantos postos de trabalho” foram criados, em que setores e com que “relação de proximidade com esses vistos gold”.

Recorde-se que, depois do anúncio do projeto de lei bloquista, o ministro dos Negócio Estrangeiros considerou que este é um programa importante para Portugal porque tem atraído investimento. Ainda assim, em entrevista à TSF, Augusto Santos Silva reconheceu que o regime tinha sido usado apenas “residualmente”, no que diz respeito à criação de emprego.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BE quer conhecer influência de vistos gold na especulação imobiliária

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião