Mais um prémio para Portugal. Melhor destino europeu pela segunda vez

  • ECO
  • 30 Junho 2018

Portugal foi eleito o melhor destino da Europa pelos World Travel Awards, pelo segundo ano consecutivo. No total, Portugal arrecadou 36 prémios. Lisboa e Madeira também foram premiadas.

Portugal continua a amealhar prémios e, com eles, mais turistas. Desta vez, foi eleito o melhor destino turístico europeu pelo segundo ano consecutivo pelos World Travel Awards, os mais importantes prémios do setor, que são conhecidos como os Óscares do turismo mundial.

Depois de ter vencido este mesmo prémio o ano passado, Portugal volta a ganhar e deixa para trás destinos como a Áustria, Inglaterra, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça e Turquia.

Ana Mendes Godinho, secretário de Estado do Turismo mostrou-se, particularmente satisfeita com este prémio. “Receber o ‘Óscar’ de Melhor Destino Europeu pelo segundo ano consecutivo é algo que nos enche de orgulho e prova que Portugal continua no top das preferências dos turistas internacionais. Estes resultados mostram que a nossa estratégia está claramente a dar frutos e que o mundo olha para Portugal como um exemplo, e também nos motivam para continuarmos o trabalho de qualificação da oferta e dos destinos, alargando o turismo a todo o território e ao longo de todo o ano, tornando-o cada vez mais sustentável”, referiu.

Lisboa e Madeira também arrecadam ‘Óscares’

Mas este não foi o único prémio a vir para Portugal. No total, viajaram para o país 36 prémios. Com Lisboa e Madeira a merecerem mais uma vez o reconhecimento internacional.

Desta vez, a capital portuguesa recebeu a distinção de melhor cidade destino da Europa, ficando à frente de gigantes do turismo, como Amesterdão, Barcelona, Londres, Paris, Roma e Veneza.

Para além desta distinção, Lisboa recebeu ainda o prémio de Melhor Porto Europeu de Cruzeiros pelo terceiro ano consecutivo. Isto depois de, em novembro do ano passado, ter sido inaugurado o novo terminal de cruzeiros de Santa Apolónia, que contou com um investimento de 54 milhões de euros. O novo cais tem capacidade para 800 mil passageiros por ano, o que representa um aumento de 300 mil face aos números atuais. No passado, Lisboa recebeu 521 mil passageiros de cruzeiro e a Administração do Porto de Lisboa espera que, este ano, entrem 617 mil turistas de cruzeiros na capital.

“Lisboa está de parabéns pelo investimento que tem vindo a fazer na requalificação do património, na disponibilização de novos equipamentos e no enriquecimento da oferta cultural e gastronómica, garantindo assim o crescimento do turismo e a melhoria da qualidade de vida dos residentes”, diz Vítor Costa, diretor-geral da Associação Turismo de Lisboa, num comunicado enviado às redações.

"A conquista de Melhor Cidade Destino da Europa é histórica para Lisboa, pois já recebemos inúmeros prémios, mas este ainda não tinha sido conquistado. O facto de estarmos a estabelecer os níveis de qualidade a que outras cidades devem aspirar deixa-nos muito orgulhosos do trabalho que tem sido feito ao longo dos anos.”

Vítor Costa

Diretor-geral da Associação Turismo de Lisboa

Para a ilha da Madeira foi o prémio de Melhor Destino Insular.

Os vencedores dos prémios foram escolhidos através de uma votação online, na qual participou o público em geral e milhares profissionais de Turismo e Viagens à escala mundial. Veja aqui a lista completa com todos os prémios.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mais um prémio para Portugal. Melhor destino europeu pela segunda vez

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião