Portugueses processam Facebook em 1,2 mil milhões

  • ECO
  • 30 Junho 2018

Associações europeias de consumidores juntaram-se e vão processar o Facebook. Deco avança com ação judicial por uso indevido de dados e pede uma indemnização média de 200 euros por utilizador.

Anda complicada a vida para o Facebook. As associações europeias de consumidores juntaram-se para processar o Facebook, naquela que é uma ação inédita. Portugal não foge à regra e a Deco vai avançar com uma ação judicial por uso indevido de dados e pede um indemnização da 200 euros para cada utilizador da rede social, escreve o Expresso, na edição deste sábado.

A ação deverá dar entrada, brevemente, num tribunal cível de Lisboa e surge no âmbito do escândalo Cambridge Analytica, a consultora britânica que terá usado indevidamente dados de 87 milhões de utilizadores para ajudar a eleger o presidente americano, Donald Trump.

As associações dos quatro países que se juntaram — Portugal, Itália, Espanha e Bélgica — entendem que têm direito a ser indemnizadas todas as pessoas com conta no Facebook e não apenas aquelas cujos dados foram usados.

Rita Rodrigues, responsável de Relações Institucionais da Deco, citada pelo Expresso, refere que “todos os utilizadores — que em Portugal se estima serem 6,4 milhões — devem ser os destinatários dessa compensação. Ao colocarmos uma ação a favor de todos os utilizadores, estamos a acautelá-los de todas as aplicações que se apoderam dos dados de forma indevida. O próprio Facebook já veio confirmar que o Cambridge Analytica foi apenas a ponta do icebergue e assumiu que existem 200 aplicações com problemas semelhantes. Está em causa um sistema que salvaguarde os interesses dos consumidores”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugueses processam Facebook em 1,2 mil milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião