Santander chega a acordo com seguradora Aegon. Allianz fica de fora

Com este novo acordo, a parceria que o Popular detinha com a Allianz termina. Santander diz que operação não terá impacto no rácio de capital CET1 nem na conta de resultados.

O Santander assinou um acordo com o grupo holandês Aegon, que passará a ser responsável pela área seguradora do banco, de acordo com um comunicado enviado esta terça-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Assim, a parceria que o Popular detinha com a Allianz acaba por cair por terra.

O Banco Santander comunica que alcançou um acordo com o Grupo Aegon, em virtude do qual será o futuro sócio segurador do Banco Santander em Espanha para os negócios de seguros vida-risco e de vários ramos de seguros gerais, depois da integração do Banco Popular Espanhol no Banco Santander”, lê-se no comunicado.

A parceria com o grupo Allianz aconteceu com a integração do Popular no Santander, em junho do ano passado, uma vez que a Allianz era sócia do Popular e o grupo Aegon era sócio do Santander. Assim, esta parceria termina aqui, conforme se lê no documento. “Os termos finais e o perímetro sobre o qual terá efeito o acordo com a Aegon estão sujeitos a diversas condições e o processo de conclusão da parceria entre o Banco Popular e o Grupo Allianz em Espanha, pelo que não é possível determinar, com certeza, neste momento, o resultado de tais operações“.

Com tudo isto, a instituição estima que, relativamente a este processo, no qual “participaram vários grupos seguradores”, “o seu impacto combinado no rácio de capital CET1 e na conta de resultados do grupo não será significativo”. Valores sobre esta operação não foram adiantados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Santander chega a acordo com seguradora Aegon. Allianz fica de fora

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião