A manhã num minuto

Não sabe o que se passou durante a manhã? Fizemos um vídeo que reúne as notícias mais relevantes, em apenas um minuto.

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, disse esta manhã, no Parlamento, que “a verdadeira forma de período experimental hoje, no nosso país, é o trabalho a prazo“. A Juventus continua a acelerar em bolsa. Avançam mais de 6% na véspera do dia em que se espera que Cristiano Ronaldo seja apresentado como jogador do clube italiano. Cinco dias valem 27% às ações.

O Parlamento debateu, esta sexta-feira, na generalidade um conjunto de iniciativas com impacto na legislação laboral. Vieira da Silva disse que “a verdadeira forma de período experimental hoje, no nosso país, é o trabalho a prazo”.

CR7 é dado praticamente como certo na Juventus, e as ações do clube italiano continuam a tirar partido disso. Na véspera da esperada apresentação de Cristiano Ronaldo, as ações da Juventus somam mais de 6%. Ou seja, são já 27%, os ganhos acumulados pelo título desde que surgiram os primeiros rumores da transferência milionária de Madrid para Turim. Cinco dias já valeram perto de 190 milhões de euros de ganhos bolsistas à Juventus.

Abastecer o carro vai ficar mais caro a partir de segunda-feira. Será a segunda semana de subidas dos preços dos combustíveis, mas a boa notícia é que não será muito acentuada. Será de até meio cêntimo, na gasolina e no gasóleo.

A Comissão Europeia anunciou esta sexta-feira uma investigação aprofundada às isenções fiscais concedidas pelas autoridades portuguesas a empresas na Zona Franca da Madeira (ZFM), por recear que estas não estejam em conformidade com as regras de auxílios estatais.

Há 30 cursos superiores que têm uma taxa de desemprego entre os recém-licenciados de 0%, sendo que 20 fazem parte do ensino privado e dez do ensino público. A nível nacional, há menos recém-diplomados do ensino público no desemprego face aos últimos anos, de acordo com o portal Infocursos, citado pelo Público (acesso condicionado).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

A manhã num minuto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião