Macron, Juncker e Sánchez vêm a Portugal discutir energia

  • Lusa
  • 10 Julho 2018

O Presidente francês, o chefe de Governo espanhol e o Presidente da Comissão Europeia vêm a Lisboa a convite de António Costa no dia 27 de julho, para falar de interligações energéticas.

O chefe de Estado francês, o líder do Governo espanhol e o presidente da Comissão Europeia estarão em Lisboa, no próximo dia 27, a convite do primeiro-ministro português, para participarem numa cimeira sobre interligações energéticas.

Fonte oficial do Governo português disse à agência Lusa que o Presidente da República de França, Emmanuel Macron, terá antes do início desta cimeira um almoço de trabalho com o primeiro-ministro português, António Costa.

Pela manhã, na Fundação Calouste Gulbenkian, António Costa e Emmanuel Macron estarão também juntos numa iniciativa intitulada “Encontro com cidadãos”, que durará cerca de hora e meia e em que o chefe de Estado francês e o primeiro-ministro português vão responder a algumas perguntas formuladas pela assistência sobre os principais temas da agenda europeia.

Um encontro com idênticas características foi promovido no Porto, por ocasião da recente visita a Portugal da chanceler germânica, Angela Merkel.

No que respeita à cimeira sobre interconexões energéticas no sudoeste europeu – juntando já o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, e o presidente da Comissão Europeia, Jean Claude Juncker -, realizar-se-á na parte da tarde após o almoço de trabalho entre António Costa e Emmanuel Macron.

Na cimeira, que terá lugar no centro de Lisboa, está também prevista a presença do presidente do Banco Europeu de Investimentos (BEI), Werner Hoyer.

“O objetivo central da cimeira é avançar no cumprimento do objetivo europeu em matéria de energia e combate às alterações climáticas”, acrescentou à agência Lusa a mesma fonte do executivo nacional.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Macron, Juncker e Sánchez vêm a Portugal discutir energia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião