Guerra comercial volta a ensombrar Wall Street

As novas tarifas que Trump pretende implementar sobre as importações chinesas atiram os principais índices americanos para terreno negativo.

E ao quinto dia, tudo muda. A guerra comercial volta a atormentar as principais praças norte-americanas e estas abrem no vermelho. Mesmo o S&P 500 que, esta terça-feira, tinha atingido máximos de quatro meses não está a resistir à pressão vendedora.

Em causa a nova lista de tarifas dos Estados Unidos sobre importações chinesas avaliadas em 200 mil milhões de dólares. Uma nova ofensiva que está a penalizar a negociação bolsista pouco por todo o mundo.

O S&P 500 está a cair 0,63% para os 2.776,66 pontos, enquanto o Dow Jones desvaloriza 0,67% para os 24.752,71 pontos. Já o Nasdaq cai 0,68% para os 7.708, 65 pontos.

O governo de Trump divulgou, durante a noite, uma lista de milhares de importações chinesas que quer atingir com as novas tarifas. Entre os produtos afetados estão bens alimentares, tabaco, produtos químicos, carvão, aço e alumínio.

Entre as empresas mais penalizadas estão a Caterpillar e a Boeing, ambas muito expostas à economia chinesa.

Esta nova ação de Trump deita por terra as expectativas dos investidores que estavam mais virados para a época de resultados que agora começa nos Estados Unidos. A temporada de lucros abre com JPMorgan Chase, Fargo e Citigroup, que divulgam as contas esta sexta-feira.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Guerra comercial volta a ensombrar Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião