Produção automóvel em Portugal quase duplica para 154 mil à boleia do T-Roc

A Autoeuropa, com o fabrico do T-Roc, tem sido o principal impulsionador da produção automóvel no mercado nacional.

Foram produzidos em território nacional quase 155 mil automóveis nos primeiros seis meses do ano, de acordo com os dados da Associação Do Comércio Automóvel De Portugal (ACAP). Praticamente duplicou o número de veículos que saíram das fábricas nacionais, um crescimento explicado essencialmente por causa do T-Roc, da Volkswagen.

Desde o início do ano que a “produção automóvel nacional tem vindo a apresentar uma taxa de crescimento homólogo acima dos três dígitos”, lê-se no comunicado enviado às redações. Em junho, foram produzidos no país 27.467 automóveis, representando um crescimento de 104,7% face a junho do ano passado, elevando ainda mais o total da produção na primeira metade do ano.

Analisando o total produzido no primeiro semestre do ano, verificou-se uma crescimento de 89,3% na produção de automóveis nas fábricas nacionais, o correspondente a 154.045 unidades fabricadas. No mesmo período do ano passado o número estava bem aquém da fasquia das 100 mil unidades. A explicação está no T-Roc.

A contribuir de forma bastante significativa para a produção automóvel nacional esteve a Autoeuropa, com o fabrico do SUV compacto da Volkswagen, uma vez que representam mais de metade da produção nacional, de acordo com os dados da ACAP. Perante a crescente procura por este modelo, a fábrica de Palmela reforçou a produção deste modelo para dois veículos por hora.

Este crescimento da produção deverá, contudo, ressentir-se nos próximos meses. Em agosto, é de esperar que a produção seja afetada pela paragem de três semanas na laboração por causa da adaptação às novas normas de mediação do consumo e das emissões poluentes (WLTP). “O impacto identificado, neste momento, na Volkswagen Autoeuropa confirma a necessidade de alterar o calendário de férias”, revelou a fábrica.

A norma Worldwide harmonized Light vehicles Test Procedure (WLTP) vai conferir aos automóveis valores de consumo e de emissões poluentes mais realistas, o que terá como resultado um agravamento dos preços dos veículos. Ainda assim, a empresa alemã garante que a produção prevista para este ano de 240 mil carros não vai ser afetada, devido à criação de novos turnos e do trabalho ao domingo logo após as férias de verão.

Quase todos os veículos produzidos no país, seja o T-Roc, sejam as carrinhas da Opel e PSA, são exportados (96,9%), mantendo-se a Europa como principal mercado externo (91,4%), a ser liderado pela Alemanha (20,9%), França (14,7%), Espanha (11,6%) e Itália (10,6%). Em segundo está o mercado asiático, com a China a liderar (2,9%).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Produção automóvel em Portugal quase duplica para 154 mil à boleia do T-Roc

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião