Costa repetiu esta palavra 24 vezes no discurso do Estado da Nação: investimento

  • Juliana Nogueira Santos
  • 13 Julho 2018

Por entre quase três mil palavras, Costa proferiu mais de vinte vezes a palavra "investimento". Segue-se "emprego" e "crescimento".

O debate sobre o Estado da Nação começou esta manhã de sexta-feira com o discurso do primeiro-ministro. Com a saúde, educação e investimento público como grandes temas de fundo, António Costa dirigiu-se aos deputados recordando os “compromissos que o Governo assumiu”, ou seja, virar a página da austeridade, relançar a economia com a recuperação de rendimentos, recuperar os níveis de proteção social e equilibrar as finanças públicas.

Mas por entre as quase 3.000 palavras que constituíram o discurso, houve uma que foi mais repetida — mais especificamente, 24 vezes: “investimento”.

Investimento foi a palavra mais repetida por António Costa.DR

O primeiro-ministro sublinhou o papel do investimento, público e privado, para a recuperação da economia. Estas são duas muitas afirmações de António Costa onde sobressai a palavra investimento:

  1. “O crescimento de 2,7% do PIB registado em 2017 foi o maior deste século, o investimento cresceu 9,1%, naquela que é a maior variação homóloga dos últimos 19 anos, e as exportações de bens e serviços cresceram 11,2% em 2017.”
  2. “Recuperámos a importância do investimento público no processo de desenvolvimento do país, com base na prioridade ao investimento de proximidade, ao investimento que aumenta o potencial produtivo e a internacionalização da economia, ao investimento que contribui para a coesão territorial e a descarbonização.”

Para além desta, houve ainda outras palavras repetidas cerca de uma dezena de vezes por António Costa. “Emprego” aparece 10 vezes no seu discurso, enquanto a palavra “crescimento” foi repetida nove vezes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Costa repetiu esta palavra 24 vezes no discurso do Estado da Nação: investimento

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião